Ideias

Guimarães Rosa: 55 anos sem o homem que fabricava palavras Luis War / Shutterstock

Guimarães Rosa: 55 anos sem o homem que fabricava palavras

O crítico literário Antonio Candido ressalta que, para quem souber ler, a obra de João Guimarães Rosa tornar-se-á um formidável manancial de análise literária. No “Grande Sertão”, especificamente é perceptível que, no decorrer da narração que se inicia com o vocábulo “Nonada”, os múltiplos aspectos discursivos se apresentem ao Leitor, desde o diálogo com as epopeias homéricas até “Guerra e Paz”, de Tolstói, sem se olvidar da relação hermenêutica com Proust, Faulkner, Kafka e Joyce.

A melhor seleção brasileira de futebol de todos os tempos Arquivo / CBF

A melhor seleção brasileira de futebol de todos os tempos

Nelson Rodrigues, o reacionário preferido dos diretores de teatro moderninhos, escreveu que “qualquer assunto, fora o futebol, já nasce morto”. Essa é a melhor resposta para a platitude “política, religião e futebol não se discute”. Afinal, futebol é política, futebol é religião, mas também é sociologia, antropologia, economia, história, geografia, física e estatística. A seleção de um país é o espelho desse país, em seus acertos e desacertos. Isso merece, pode e deve ser discutido.

A formação cultural da identidade pátria 

A formação cultural da identidade pátria 

m “Fedro”, no capítulo intitulado “A invenção da escrita”, o filósofo grego Platão assevera que o inventor de tal arte de escrever, o deus Thoth, ao ser indagado pelo governante Tamuz, afirmara que o seu feito literário tornaria os súditos egípcios mais sábios… Inspirado nos ensinamentos platônicos, neste artigo abordar-se-á o processo de deformação da identidade de indivíduos em processo de mutilação intelectual, deflagrado por intermédio da disseminação de uma indústria da ignorância instaurada pelo poder público e privado.

Síndrome de Dom Quixote

Síndrome de Dom Quixote

A partir da publicação da obra seiscentista “O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha”, de Miguel de Cervantes, a tradição ocidental diagnosticou que, quem estivesse apto a consumir narrativas de ficção, encontrar-se-ia na iminência de se tornar um sério candidato aos surtos patológicos de insanidade (ou alienação). Em consequência deste equivocado laudo anti-leitura, de forma rudimentar e retrógrada, a Literatura passou a ser uma espécie de inimiga pública número 1 da lucidez da humanidade.

O mito da superioridade racial ariana Foto / Stefano Chiacchiarini

O mito da superioridade racial ariana

O nazismo é uma ideologia baseada na superioridade racial de um grupo humano sobre outros. Por isso, diferentemente das ideologias nascidas do Iluminismo, não tem fundamento científico válido. Sua irracionalidade filosófica culminou historicamente na tentativa de extermínio de um povo, o judeu, nos campos de concentração. Nenhuma das principais ideologias políticas de expressão no Ocidente possui, como o nazismo, documentos que provem a perfeita identidade entre teoria e prática, neste sentido