Obituário

A pena leve e profunda de Lygia Fagundes Telles

A pena leve e profunda de Lygia Fagundes Telles

Se na literatura brasileira o peso das palavras apareceu nos livros de Clarice Lispector, a leveza estava certamente na escrita de Lygia Fagundes Telles, que morreu neste começo de abril aos 98 anos de idade. Poucos escritores ou escritoras como Lygia conseguiram captar no Brasil a lógica das aparências, os jogos de ver que as pessoas fazem ao longo da vida para tirar proveito e mesmo para sobreviver. Estamos falando de uma família de autores brasileiros cujo mestre soberano foi Machado de Assis.

Elza Soares, a Billie Holiday dos trópicos, morre aos 91 anos Fotografia: A.PAES /Shutterstock

Elza Soares, a Billie Holiday dos trópicos, morre aos 91 anos

Aos 13 anos, Elza Soares foi mãe. Com Alaúrdes teve cinco filhos, João Carlos, Dilma, Gilson, Gerson e Edmundo. Este morreu de fome. Gerson foi entregue para um casal adotar. No lugar de cuidar da casa, a criança preferia soltar pipa, carregando o bebê numa cesta de vime. Como não queria continuar apenas como “parideira”, arranjou emprego numa fábrica de sabão.

Fãs ou não, o Brasil inteiro chora Foto: Marília Mendonça Oficial

Fãs ou não, o Brasil inteiro chora

Marília nasceu na simplicidade interiorana, ganhou alcance nacional, findou-se com reconhecimento mundial. Fez o termo “feminejo” estrear no “NY Times”, foi reverenciada pela Billboard, estampou matérias argentinas, francesas, portuguesas. Com talento despido de amarras extrapolou a barreira que segrega estilos musicais. Homenageada por nomes da MPB, expoentes do hip hop, notáveis do samba, cantores elitistas e parceiros de viola conseguiu que em uníssono um coro engasgado reverberasse o sertanejo em saudação à sua história.

A música ficou menor, morreu Nelson Freire

A música ficou menor, morreu Nelson Freire

Na terra da canção popular, surgiu um menino na década de 1950 que saiu do interior de Minas Gerais e assombrou o mundo na música erudita. A elegância discreta se juntava ao modo perfeito de executar as peças para piano de Chopin e Debussy. Nelson Freire morreu na véspera do Dia dos Mortos deste ano e deixou uma obra de piano que, graças às plataformas de streaming como o Spotify, pode ser apreciada na íntegra.