Ideias

Woody Allen contra o novo macarthismo

Woody Allen contra o novo macarthismo

Multidões de linchadores nunca estão com a razão. Jamais. Em hipótese alguma. Isso é básico numa sociedade civilizada. Mas a mídia, que deveria interditar a barbárie, é a primeira a fazer festinha pra ela. E depois ninguém sabe porque revistas e jornais agonizam.

Sete motivos para amar Romero Britto

Sete motivos para amar Romero Britto

Num país cada vez mais dividido e cheio de incertezas, existe uma unanimidade: todo mundo adora odiar o Romero Britto. O artista plástico pernambucano é culpado por tudo de ruim que acontece no Brasil: dengue, chicungunha, febre amarela, golpe, impeachment, 7 a 1, ignorância política e truculência nas redes sociais. Será que Romero Britto merece mesmo todo esse discurso de ódio pra cima dele? Eu tenho certeza que não.

Com “Vai Malandra”, Anitta empodera tudo, menos o bom gosto

Com “Vai Malandra”, Anitta empodera tudo, menos o bom gosto

E eis que veio a lume “Vai Malandra”, mais uma mui engenhosa canção de Anitta. Repare o leitor, antes de tudo, que a ausência de vírgula entre o verbo “ir” e o vocativo “Malandra”, foi mantida por este que vos escreve com o fito de preservar a distintiva licença poética da autora. Pois bem, a canção veio acompanhada de um clipe que, sem nenhuma dúvida, é um monumento à pudicícia.

A marcha da insensatez: redes sociais estão destruindo a sociedade civil

A marcha da insensatez: redes sociais estão destruindo a sociedade civil

Umberto Eco (1932-2016) disse que as redes sociais possibilitaram o surgimento — e quiçá uma hegemonia — de uma “legião de imbecis”. Antes, concentrados em bares, tomando vinho ou cerveja, “falavam sem prejudicar a coletividade. Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.

O cinismo tem sede de bala

O cinismo tem sede de bala

Um saco de cimento pode ferir e matar. O operário revoltado com o colega pode jogá-lo do andaime quando a vítima passar lá embaixo. Mas cimento foi feito para a construção. Uma pistola pode livrar um enforcado. O mocinho do filme de faroeste pode mirar na corda do condenado e salvá-lo da morte. Mas pistola foi feita para ferir e matar.

Philip Roth X Ian McEwan

Philip Roth X Ian McEwan

Não poucos estudiosos acreditam que a língua de Shakespeare produziu a maior das literaturas. Não vem ao caso discutir a procedência deste julgamento. Mas é certo que, indiscutivelmente, dois dos maiores escritores da atualidade, no mundo, são o inglês Ian McEwan e o norte-americano Philip Roth. Não terem ganhado o prêmio Nobel é apenas um detalhe que deporia contra o prestígio da academia. São dois magistrais romancistas, gênero por excelência de sua arte.

Espécie de Policarpo Quaresma da filosofia, o menino do Acre talvez seja uma das maiores empulhações da história do Brasil

Espécie de Policarpo Quaresma da filosofia, o menino do Acre talvez seja uma das maiores empulhações da história do Brasil

O “Menino do Acre” talvez fique na história como uma das grandes empulhações brasileiras e a mídia, certamente para obter audiência e acesso, se não está endossando diretamente, está sendo conivente com as trapalhadas e enganações do estudante de Psicologia Bruno Borges, de 25 anos. A Argentina tem Jorge Luis Borges. O Brasil contenta-se com Bruno Borges, o pós-adolescente fujão, que ficou desaparecido durante algum tempo, alegando que estava em busca do conhecimento.