Ideias

Já começou o matriarcado nas séries

Já começou o matriarcado nas séries

Uma cena de “Casa de Papel” marcou a virada, rumo ao feminino, nas séries de televisão e de streaming. No meio da confusão do assalto na história, a personagem Nairobi recebe a instrução para assumir o comando da operação e solta a conhecida frase: “Que comece o matriarcado”. Foi um sinal de que os homens em crise passaram a um segundo plano na recente ficção seriada, contrariando a política em várias partes do mundo que estava sendo invadida por uma masculinidade fora de hora e tóxica.

Bem-vindo ao deserto do Real

Bem-vindo ao deserto do Real

A cena emblemática do filme “Matrix” (1999) mostra o momento que o personagem Neo (feito por Keanu Reeves) é conectado a uma rede de computadores por meio de um plug em sua cabeça. De imediato, ele entra em um universo virtual onde Morpheus (Laurence Fishburne) tenta explicar o famoso mecanismo da “matrix”, o aparato que controla tudo e todos, porém é inclassificável.

A ficção e o pensamento após o 11 de setembro de 2001

A ficção e o pensamento após o 11 de setembro de 2001

A cultura consegue aceitar qualquer personagem ou história, por mais polêmico que seja. Algo de humano pode aparecer em ladrões, perversos, malucos de rua e caubóis que barbarizam no Velho Oeste. Das figuras problemáticas, apenas os terroristas não têm vez. Essa interpretação do mundo faz parte de um trecho do romance “Mao II” (1991), do norte-americano Don DeLillo, e é um fio da meada para pensar os caminhos tomados pela arte e pelo pensamento após os atentados de 11 de setembro de 2001.

A culpa da crise hídrica é do STF e dos índios que não fizeram a dança da chuva

A culpa da crise hídrica é do STF e dos índios que não fizeram a dança da chuva

Encontrar culpados pelos seus próprios erros é um grande vício dos seres humanos. Tal desvirtude ocorre, notadamente, pelo medo do fracasso; ao confrontarmos uma realidade em que falhamos, tendemos a buscar respostas em fatores outros que não as nossas próprias atitudes. Em determinado estádio da vida, contudo, amadurecemos e chegamos ao apogeu da responsabilidade — momento em que assumimos uma postura de adulto e confrontamos os fantasmas da culpa.

Cancelamento é tão velho quanto o teatro grego

Cancelamento é tão velho quanto o teatro grego

A expiação dos gregos antigos era a expulsão do indivíduo da pólis. Ele assim carregava todos os males e os conflitos da cidade para fora dela. No cancelamento digital, ocorrem o “dislike” e o “unfollow” de um perfil, provocando isolamento. Faz-se um sacrifício de uma pessoa por meio de um tribunal informal de internautas. Nada mais, nada menos, do que já se conhece e faz há milênios.