Música

Os 12 maiores letristas da Música Popular Brasileira Foto / A.PAES

Os 12 maiores letristas da Música Popular Brasileira

Como o fizera na crônica sobre os 12 melhores poetas da literatura brasileira contemporânea, neste artigo irei discorrer sobre os 12 melhores letristas “vivos” do sexo masculino da MPB. Conforme afirmado anteriormente, a seleção obedeceu a critérios de avaliação exclusivamente particulares. Preâmbulo feito, inicio a escalação dos poetas compositores, com, a meu ver, o mais inspirado de todos os tempos em território nacional: Chico Buarque de Hollanda.

O apoteótico e hipotético duelo entre Caetano Veloso e Chico Buarque de Hollanda Foto / A.PAES

O apoteótico e hipotético duelo entre Caetano Veloso e Chico Buarque de Hollanda

Dentre a produção musical brasileira, há de se destacar a excelência das letras trabalhadas por exímios artesãos do vocábulo que, em alguns casos, migraram da poesia de livro de modo a alavancar a MPB à categoria de World Music mais aclamada em todo território interplanetário, desde quando a canção “Coisinha do pai”, do sambista Jorge Aragão, estourou nas rádios marcianas nos fins do século passado.

50 anos do Clube da Esquina, a real Inconfidência Mineira Foto / A. Paes

50 anos do Clube da Esquina, a real Inconfidência Mineira

Reza a lenda que a real Inconfidência Mineira, que fora orquestrada pelo movimento libertário denominado como Clube da Esquina, sob a liderança de uma espécie de Joaquim José da Silva Xavier do século 20, que, como todo bardo neo-árcade, forjara assinatura com o pseudônimo de Milton Nascimento, o Tiradentes Negro.  Neste contexto, cabe explicitar ao Leitor que a Insurreição de Santa Teresa se dera em razão do tributo estético Quinto, arrecadado aos cofres públicos pelas mãos dos colonizadores bossanovistas, capitaneados por El-Rey d. Vinicius de Moraes I e seus aristocráticos asseclas políticos: o seu vice-rey d. Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, Duque de Ipanema; e o ministro do Tesouro e Fazenda d. João Gilberto, Comendador de Juazeiro.

Os 50 anos de Transa, de Caetano Veloso Foto / Joa Souza

Os 50 anos de Transa, de Caetano Veloso

Foi no seu período de exílio em Londres que Caetano gravou “Transa”, um dos álbuns mais importantes de sua carreira e que foi lançado em 1972 quando o músico já estava definitivamente de volta ao Brasil. Passados 50 anos, o disco continua a nos maravilhar e a soar sempre atemporal. Permeado pelas saudades de Caetano da sua terra natal, incorpora as tendências musicais da capital inglesa, como o rock e o reggae, com a poesia e os ritmos brasileiros, principalmente os nordestinos.