Crônicas

A lenda de Fausto: acusa-me que te acuso

A lenda de Fausto: acusa-me que te acuso

A figura de Fausto é baseada em Johann Georg Faust (1480-1540), supostamente um alquimista que viveu no sul da Alemanha à época do Renascimento. Sua história é folclórica e envolve um pacto com o demônio. Segundo se alega, Fausto queria mais energia para se dedicar à ciência e ao conhecimento.

O seu ódio não será a minha herança

O seu ódio não será a minha herança

70% da população vai encher o rabo de cloroquina. Não tem jeito. É assim mesmo. E daí? Minha falecida avó detesta quando eu digo isso, mas, a verdade é que todo mundo vai morrer um dia. Brasileiro não pega nada. Brasileiro precisa ser estudado depois que sair do esgoto, se sobreviver a essa gripezinha que assola a economia do planeta.

O coração não é o epicentro do amor

O coração não é o epicentro do amor

Não pares de escrever, Guilherme. Ao contrário do que se diz por aí, o coração não é o epicentro do amor. São os pensamentos. E nem todos eles, sãos, se bem me entendes. A mente humana opera, todo santo dia, a favor ou contra a integridade do planeta.

Ulisses: o Coveiro de Manaus

Ulisses: o Coveiro de Manaus

Trinta e dois séculos depois, numa geografia diametralmente distinta, nos deparamos com outro herói; outro Ulisses. Este, de carne e osso. Alguém que podemos até tocar e que não protagonizou nenhuma viagem fantástica para mundos desconhecidos. O Ulisses que os jornais descobriram reside em Manaus.

Mundo pós-covid-19: alguém sabe mesmo como vai ser?

Mundo pós-covid-19: alguém sabe mesmo como vai ser?

Reforce seus contatos. Busque atualização. E cuide da sua casa. Não dá para ser o empreendedor do futuro se você nem sequer cuida da louça suja. Vá com calma no desejo de se reinventar. Porque você pode ficar prontinho, capacitado e reinventado para um futuro que não vai se concretizar. E o pior: com a louça suja.

Enterrando histórias na vala comum da indiferença

Enterrando histórias na vala comum da indiferença

Havia uma frieza generalizada naqueles dias, uma espécie de pandemia de indiferença que levava muitos corações velhos a definharem dentro dos peitos, até interromperem as suas inatas missões de pulsar e pulsar e pulsar. As mortes provocavam, não apenas, empáfia e mau humor nos mandatários máximos da nação, como, também, tribulação dobrada para os órgãos governamentais competentes.

Mãe, não se esqueça de mim, pois eu nunca vou lhe esquecer

Mãe, não se esqueça de mim, pois eu nunca vou lhe esquecer

É o segundo domingo de maio. A maior parte das famílias reúne-se nesse dia, põe comida na mesa e comemora o Dia das Mães. Rosas nas mãos. Faca entre os dentes. Fazer o quê? Tem dessas coisas. Família, você sabe, é um mal necessário, e elas são todas iguais. Eu gostaria de aproveitar o ensejo pra lhe fazer algumas recomendações que julgo importantíssimas pra sua saúde e pra minha paz de espírito, se é que eu ainda possua algum.