Crônicas

Procure direito o lázaro escondido no peito

Procure direito o lázaro escondido no peito

Caçavam-me há semanas. Esperança fora encontrada morta, a boiar num lago na Cidade ocidental. Acusavam-me do hediondo crime de fugir da realidade. Era o personagem mais lazarento e odiado da história desde Jesus Cristo. A cruz, para mim, era pouco, dizia-se. Experimentado em mato, no mato me refugiei. Bebia água de pedra. Banhava-me em poças de lágrimas. Rastejava entrelaçado às cobras. Mastigava frutos nativos do cerrado. A maioria dos morcegos era herbívora, mas, o povo queria mesmo era sangue.

Rico e preocupado

Rico e preocupado

Como de costume, sentou-se à mesa de seu escritório e conferiu, no computador, suas planilhas. Não havia dúvida, era um homem rico. Tinha muito mais que o necessário para viver, confortavelmente, mais de uma vida. Mas não conseguia abandonar a dura rotina a que se impôs. Desde a falência da mal gerida empresa do pai, adotou uma vida espartana.

Trago de volta a pessoa amada, com 12 canções românticas dos Beatles

Trago de volta a pessoa amada, com 12 canções românticas dos Beatles

Espero que vocês curtam a lista que eu compilei para deixar o Dia dos Namorados mais romântico e classudo. Recomendável harmonizar o som com vinho tinto e queijos. Quem não gostar, que se dane: já me casei mesmo. Se forem beijar na boca, por favor, retirem a máscara, só por uns instantes. Ao contrário do que vocifera O Crápula de Brasília, na sua peculiar arrogância e falta de empatia, usem máscara, evitem aglomerações.

Um refúgio em Jane Austen

Um refúgio em Jane Austen

Ele lhe disse poucas e boas. Não economizou palavras. Ela ouvia, cabisbaixa, enquanto lágrimas lhe corriam sobre a face. No entanto, ele se mantinha impávido; era só certeza e arrogância. Disse-lhe que nunca teria nada na vida; que era irresponsável; que não tinha respeito ao dinheiro. Desfiou o costumeiro rosário de acusações.