Autor: Eberth Vêncio

Cuidado. Pode ser amor

Cuidado. Pode ser amor

Quem já beijou a lona nunca esquece o gosto amargo dos lábios da queda. Quem já patinou na lama sempre se assombra ao lembrar como era tolo ser criança aos olhos de um adulto. Pois digo e reafirmo que vivi os meus melhores momentos na chuva. Foram tempos em que eu brincava de viver sem me importar com o barro, com os resfriados ou com a minha mãe gesticulando, esbravejando conchavos irresistíveis da janela verde de casa, como se fosse possível que eu saísse já daquela chuva e deixasse de ser menino para sempre.

As razões certas para se esfaquear um ser humano

As razões certas para se esfaquear um ser humano

Sinto decepcioná-los, mas, confesso que sou adepto à picanha malpassada e ao sexo sem fins reprodutivos. A carne fraca não gera em mim nenhum sentimento de culpa. Aliás, não conheço um único vegetariano que não sofra de vacilações, palidez e anemia. Isso é o que eu chamo de dar o sangue por uma causa. Espero não ser esfaqueado por pensar assim. Pior que a intolerância ao glúten é a intransigência das ideias.

A vida era simples, feliz e divertida dentro da Kombi

A vida era simples, feliz e divertida dentro da Kombi

Escrevo histórias reais e inventadas. Prefiro as últimas. Esta aqui aconteceu no duro, embora, de tão excêntrica, poderá parecer um embuste. Creiam: sucedeu tal e qual eu vou relatar, sem tirar nem por. Meados dos anos 1970. Partimos de Kombi para Salvador: meus pais e quatro filhos; dentre eles, este escriba. Mil e setecentos quilômetros de estradão do centro-oeste brasileiro até o litoral.

Odeio meu pai

Odeio meu pai

O amor morreu dentro de mim da pior maneira possível: devagarinho, aos poucos, até que um dia: finitum est. Vidas que se apartaram por uma vírgula. Melhor: pela falta dela. Eu preferiria, mil vezes, ter dito ou escrito “Odeio, meu pai”. Nada mais formal para qualquer ser humano. Afinal de contas, em maior ou menor conta, todos desse mundo odeiam alguém ou alguma coisa.

O voto é secreto, mas, a intolerância é explícita

O voto é secreto, mas, a intolerância é explícita

As próximas eleições vão ser um porre. Você acredita que o velho Mojo condecorou o fantasma do Almirante Ultra em pleno plenário do Senado? O cara torturava estudantes com penas de ganso. Não brinca com coisa séria, Meg. Ele era o demônio de farda. Não consigo me concentrar com você falando feito uma tagarela. Tá difícil, viu? Vira, por favor. Deixa eu ver se por trás dá certo.