Agora você entende por que Peter Pan não queria crescer?

Agora você entende por que Peter Pan não queria crescer?

O lado lúdico nos permite amolecer as tijoladas da rotina, mas também ressurge para abrandar o desespero, as crises existenciais, emergenciais e todas as assombrações inventadas por nós. Enquanto esse lado sobreviver, estaremos mais ou menos protegidos por alguma alegria colorida. Seguros por uma insistência infantil que regula a vida, ao passo que nos regride alguns momentos, para que justamente possamos avançar.

2236
‘Muita gente falando de amor e pouca gente sabendo amar’

‘Muita gente falando de amor e pouca gente sabendo amar’

Será mesmo que porta-retratos eternizam famílias felizes? A resposta é não. Claro que não! Momentos não são definidos por imagens, fotografias. Imagens captam, sim, nossos semblantes, porém nossa alma jamais. Hoje, infelizmente, há uma inversão de valores. Preferimos dar amor às imagens, preferimos curtidas (a cada foto que postamos) a um abraço verdadeiro ou um momento a sós com as pessoas reais que vivem em nosso lar, em nossa realidade.

10734
‘Falta amor no mundo, mas também falta interpretação de texto’

‘Falta amor no mundo, mas também falta interpretação de texto’

Que me perdoem os analistas de funções, tabelas, números complexos e logaritmos, mas desenvolvi uma teoria baseada em nada além do que meus próprios olhos e ouvidos vêm testemunhando há tempos: considerável parte do desamor que paira hoje no mundo se deve à incapacidade de interpretação de texto. Sim, senhores. A incompreensão da Língua tem deixado as línguas (e os dedos frenéticos que navegam pelos teclados) mais intolerantes, emburrecidos e inacreditavelmente loucos.

10953
Marcelo Mirisola empalado

Marcelo Mirisola empalado

O escritor francês Marcel Proust gostava de jogar uma brincadeira de salão chamada “Confissões”, na qual os participantes respondiam perguntas pessoais. Em sua homenagem, hoje o jogo ficou conhecido como “Questionário Proust”. Acreditando que de Marcel para Marcelo é um pulinho oceânico, a Bula fez uma sabatina com o escritor paulista Marcelo Mirisola, MM para os íntimos.

444
Adote um cão. A sua vida nunca mais será a mesma

Adote um cão. A sua vida nunca mais será a mesma

Quando você tiver um cão, ele não se importará com o nome que você der a ele. O bichinho te amará pelo simples fato de você tê-lo escolhido. Ele assistirá partidas de futebol contigo e latirá quando você vibrar com o gol do seu time. O cão estará ao seu lado independentemente do seu humor. Naqueles dias em que desejar ficar só, ele estará contigo compartilhando o teu silêncio.

3430
Feliz Dia dos Namorados ao namorado que eu ainda não tenho

Feliz Dia dos Namorados ao namorado que eu ainda não tenho

Ou a vida não tinha passado por mim, ou eu ainda não tinha passado pela vida. Das duas, uma. Tanta gente celebrando o amor, jurando a eternidade em olhares líquidos e beijos inebriantes, entre alento, calentura e umidade. Como eu gostaria de estar ao teu lado e fazer as tolices românticas das quais me rendo à graça, cometer as sandices de um amor escandaloso e escancarado, me entregar como propriedade exclusivamente tua e te chamar de meu no alto da autoridade de um reinado só nosso. Se existe a tal da inveja branca, essa é a minha. Assumo, sem o menor pudor, do quanto eu gostaria de ter você aqui comigo, mesmo sem — ainda — ter te conhecido.

3053
10 poemas de amor para recitar e rolar sem moderação

10 poemas de amor para recitar e rolar sem moderação

Pode ser que ele a surpreenda com um colar de estrelas cadentes caídas direto do céu da sua boca. Pode ser que ela fique louca com um anel de dias antes, um artefato simples e ordinário, feito de plástico, que ele descobriu por acaso, futricando dentro, garimpando no fundo de um saco de balas, feito um menino. O afeto disfarça-se nos detalhes, de acordo com o universo feminino. Pode ser que beijos doces redimam um homem amargo que desaprendeu com o tempo a dizer ‘Eu te amo’.

1354