Novo filme de Jennifer Lopez promete ser a maior audiência da Netflix em 2024 Divulgação / Netflix

Novo filme de Jennifer Lopez promete ser a maior audiência da Netflix em 2024

Dispositivos de inteligência artificial não sabem o que é vida. Essas ferramentas, criadas pela mão do homem, apenas emulam a ideia de vida (e de morte) e é por aí que “Atlas” começa a se mover. A história da relação um tanto edulcorada de uma cientista obcecada por experimentos com robôs e programas idealizados para descobrir formas de vidas e habitats favoráveis à colonização extraterrestre, lembra muito do que se já viu no cinema nas últimas quatro décadas, ainda que o filme de Brad Peyton tenha, sim, personalidade.

O fenômeno global de bilheteria com Tom Cruise que arrecadou 20 vezes nos cinemas o próprio orçamento, na Netflix Divulgação / Paramount Pictures

O fenômeno global de bilheteria com Tom Cruise que arrecadou 20 vezes nos cinemas o próprio orçamento, na Netflix

Tudo quanto se relacione a velocidade e concorrência por estima — sobretudo entre homens — tem muita chance de se tornar um sucesso instantâneo, e para além de um momento breve. À medida que crescem, meninos tomam gosto por brinquedos mais arrojados, aos quais passam a devotar um amor obsessivo. É valendo-se desse mistério que Tony Scott (1944-2012) faz “Top Gun — Ases Indomáveis” cruzar o horizonte e escrever no céu o nome de um astro, cujo destemor é uma das marcas desde então.

A comédia romântica que fez as pessoas chorarem as salas de cinemas, na Netflix Ben Rothstein / Twentieth Century Fox

A comédia romântica que fez as pessoas chorarem as salas de cinemas, na Netflix

A trama segue Simon, um jovem que aceita sua homossexualidade, mas teme o julgamento daqueles que ainda não a conhecem — pessoas que, na verdade, não deveriam influenciar sua vida. A história, adaptada do livro “Simon vs. the Homo Sapiens Agenda” de Becky Albertalli, transforma uma narrativa fria em uma conversa calorosa e bem-humorada entre pais e filhos sobre a aceitação e os desafios da identidade sexual, temas que continuam urgentes e relevantes.

O filme de ficção científica genial com Jake Gyllenhaal e Ryan Reynolds, que poucos entenderam, está na Netflix Divulgação / Sony Pictures

O filme de ficção científica genial com Jake Gyllenhaal e Ryan Reynolds, que poucos entenderam, está na Netflix

Filmes abordando a interação humana com o ambiente e suas consequências extremas, frequentemente apocalípticas, tornaram-se um clichê persistente no cinema mundial. Diretores, independentemente de suas ideologias ou crenças, muitas vezes criam narrativas que expressam uma descrença fundamental na existência, resultando em obras com temáticas escatológicas. “Vida” é um exemplo desse fenômeno, navegando entre clichês e tropeçando em outras armadilhas do gênero.

Últimos dias para assistir ao mistério que não vai te deixar desviar o olhar, na Netflix Jonny Cournoyer / Paramount Pictures

Últimos dias para assistir ao mistério que não vai te deixar desviar o olhar, na Netflix

“Um Lugar Silencioso” de John Krasinski evita o uso de sustos fáceis, envolvendo o espectador de maneira mais profunda e significativa. Esse filme desafia as convenções do terror, exigindo que o público espere mais das narrativas do gênero. Krasinski, em parceria com Bryan Woods e Scott Beck, cria uma história sobre uma família lutando para sobreviver em um mundo devastado por criaturas sensíveis ao som. Krasinski interpreta Lee Abbott, o pai, ao lado de Emily Blunt como Evelyn, sua esposa, e seus filhos Marcus (Noah Jupe), Regan (Millicent Simmonds) e o caçula interpretado por Cade Woodward. Forçados ao silêncio absoluto para evitar predadores com audição aguçada, a família enfrenta desafios extremos para permanecer viva.