Monteiro Lobato: alma de boxeador

Monteiro Lobato: alma de boxeador

Ninguém descreve a trajetória do sol sobre a paisagem brasileira como ele. O amanhecer é a promessa do país ainda virgem da devassidão europeia, que tem uma chance na esperança de ser um lugar agradável de viver, onde poderia imperar a harmonia e o equilíbrio entre as pessoas. Mas quando o dia avança e a bigorna do sol acaba tisnando a paisagem, eis que se revela o país insuportável, onde medra o fogo e o crime ecológico.

20 livros obrigatórios para ler antes dos 50

20 livros obrigatórios para ler antes dos 50

A Revista Bula elencou em uma lista 20 livros que todos deveriam ler antes de completar 50 anos. As obras escolhidas são marcos da literatura e abordam temas como envelhecimento, escolhas, arrependimentos e morte. As sinopses foram adaptadas das originais, divulgadas pelas editoras.

1984, o livro que matou George Orwell

1984, o livro que matou George Orwell

Em 1946, o editor David Astor emprestou a George Orwell uma afastada fazenda escocesa na qual pudesse escrever seu novo livro, “1984”. O editor do semanário britânico “The Observer”, Robert McCrum, conta história da torturante estadia de Orwell na ilha onde prestes a morrer engajou-se numa corrida febril para terminar o livro. As circunstâncias que cercam o processo criativo de “1984” constroem um narrativa fantasmagórica que ajuda a explicar a desolação da distopia de Orwell.

Chaves: a era da imbecilidade, dos cancelamentos retroativos e os sacerdotes do politicamente correto

Chaves: a era da imbecilidade, dos cancelamentos retroativos e os sacerdotes do politicamente correto

O índice de proibições e “cancelamentos” retroativos é progressivo e tende a abarcar tudo aquilo que não segue as diretrizes determinadas pelos sacerdotes do politicamente correto. Notadamente, o humor em Chaves é recheado de bofetadas, pequenos conflitos com constantes trocas de insultos indiscriminados, um professor que fumava charutos em sala de aula, violência deliberada entre crianças e adultos, enfim, de tudo aquilo que mais se abomina nos tempos atuais de controle de tudo a que se assiste.

100 mil mortos: um Maracanã lotado de lágrimas

100 mil mortos: um Maracanã lotado de lágrimas

Tragédias, infelizmente, acontecem. Ao longo da trajetória humana, fomos obrigados a nos acostumar com inúmeras delas, envoltas nas mais diversas circunstâncias. Algumas são realmente inevitáveis; sobre elas, o único poder que temos é o de refletir — e lamentar. Outras, no entanto, podem ser contidas e até antecipadas, principalmente quando há possibilidades reais de controle sobre seus desdobramentos.

1984, de George Orwell: a exploração do homem pelo homem está em sua natureza

1984, de George Orwell: a exploração do homem pelo homem está em sua natureza

A inspiração de Orwell é evidentemente o Comunismo, que está no auge nos anos 40 do século 20. Oceania não tem capital, mas os prédios do governo localizam-se em Londres, centro da narrativa. Parece haver uma lógica teórica nisso: Marx acreditava que a revolução proletária devia ocorrer num país industrializado da Europa, precisamente Inglaterra ou Alemanha, e jamais num país feudal como a Rússia czarista.