Autor: Ademir Luiz

Bula de Livro: Carta a D., de André Gorz

Bula de Livro: Carta a D., de André Gorz

Seria banal definir “Carta a D.” como uma carta aberta de um autor para sua musa. É muito mais um pedido de desculpas desse autor para sua companheira, que também foi mecenas, protetora, pilar e secretária. É uma carta de amor? Sim. Ridícula, como Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa, definia toda carta de amor? Definitivamente, não. “Carta a D.”, a despeito de suas intenções viscerais, é uma peça literária cuidadosamente composta, repleta de passagens memoráveis.

Bula de Livro: O Crime no Edifício Giallo, de Luiz Biajoni

Bula de Livro: O Crime no Edifício Giallo, de Luiz Biajoni

Da mesma forma que Quentin Tarantino atualizou a “pulp fiction”, Luiz Biajoni trouxe o “giallo” italiano para o século 21, dando-lhe um registro pós-moderno calcado em releituras e desconstruções do estilo. A partir de uma narrativa aparentemente tradicional, são inseridas diversas referências aos clássicos “amarelos”, misturando-as com elementos muito contemporâneos. A trama envolve obsessões sexuais, famílias disfuncionais e jogos de aparências, a partir do assassinato de um homem negro, rico e homossexual em um edifício de alto padrão.

Bula de Livro: A Morte em Veneza, de Thomas Mann

Bula de Livro: A Morte em Veneza, de Thomas Mann

A obra-prima de Thomas Mann, um dos mais perfeitos exemplares do gênero novela da literatura universal, segue sendo bastante lida e não raramente é mal ou superficialmente interpretada. Essa tragédia protagonizada pelo discreto e respeitável escritor de meia idade Gustav Von Aschenbach, que chega a Veneza por recomendações médicas e acaba mortalmente encantado pela beleza perturbadora de um adolescente polonês chamado Tadzio, possui muitas camadas de interpretação

Se você acha Capitu inocente, você é machista

Se você acha Capitu inocente, você é machista

Meninas e meninos eu leio e releio, “Dom Casmurro”, do bruxo Machado de Assis, e sempre me surpreendo com as leituras deturpadas que esse clássico absoluto sofre. Incluindo leituras feitas por gigantes como Antonio Candido, Alfredo Bosi, Roberto Schwarz e Silviano Santiago. Sim, estou afirmando que eles estão errados em suas análises de “Dom Casmurro”. Acendam suas tochas, preparem as pedras e leiam abaixo meus argumentos.

Bula de Livro: O Pêndulo de Foucault, de Umberto Eco

Bula de Livro: O Pêndulo de Foucault, de Umberto Eco

Em “O Pêndulo de Foucault”, Umberto Eco chegou ao ápice de sua principal habilidade literária, a criação de personagens carismáticos. O trio de editores que protagonizam a trama, Belbo, Diotallevi e Casaubon, parecem que vivem, respiram e fazem barulho quando andam, de tão reais e densos psicologicamente. O espantosamente erudito e excêntrico Agliè, ainda que tenha algo cartunesco de vilão de 007, merece destaque na galeria de melhores antagonistas das últimas décadas.