Autor: Ademir Luiz

Chico Buarque, todo mundo era seu fã. O crepúsculo do Zeus Brasileiro

Chico Buarque, todo mundo era seu fã. O crepúsculo do Zeus Brasileiro

Toda nudez será castigada, assim como toda burrice, e o rei está nu. Ultimamente Chico Buarque tem sido alvo de uma verdadeira legião de zumbis raivosos acusando-o de toda sorte de coisas. Praticamente acabou a idolatria sem reservas do Zeus brasileiro. O calcanhar de Aquiles tornou-se evidente; tem nome, sobrenome e apelido agregado ao nome: Luiz Inácio Lula da Silva.

A era dos intelectuais Nutella

A era dos intelectuais Nutella

Os mais críticos podem afirmar que eles confirmam a “Teoria do Medalhão” daquele famoso conto do Machado de Assis, que representam o fascínio brasileiro pelo bacharelismo denunciado por Sérgio Buarque de Holanda ou que são meros autores de autoajuda. Injustiça! Talvez os epítetos mais corretos fossem “divulgadores científicos” ou “vulgarizadores do conhecimento erudito”. Não são Paulos Coelhos com diploma, embora suas obras mais populares não ajudem a dissipar tal impressão.

Gilberto Freyre, o inimigo do politicamente correto

Gilberto Freyre, o inimigo do politicamente correto

Gustavo Mesquita, doutor em História pela USP, venceu o 6º Concurso de Ensaios sobre Gilberto Freyre com o trabalho “Gilberto Freyre e o Estado Novo: Região, Nação e Modernidade”, publicado pela Editora Global. Nesta entrevista ele explica o apelido “vitoriano dos trópicos” dado a Freyre e sua relação com figuras como Getúlio Vargas, Florestan Fernandes e Oscar Niemeyer.

O primeiro Nobel brasileiro a gente nunca esquece

O primeiro Nobel brasileiro a gente nunca esquece

Finalmente, acabou o tabu! Depois que Leonardo DiCaprio ganhou o Oscar de Melhor Ator, o Corinthians venceu um Mundial de verdade, a Seleção Brasileira ganhou a Medalha de Ouro Olímpica, finalmente, o Brasil foi laureado com um Prêmio Nobel de Literatura. Os suecos esnobaram Jorge de Lima, Ferreira Gullar, Jorge Amado, Cabral, Rosa e Drummond, mas não conseguiram resistir às brochadas literárias de Jacques Fux.

A Livraria, uma obra-prima da história recente do cinema

A Livraria, uma obra-prima da história recente do cinema

A história de “A Livraria” centra-se na trajetória de Florence Green — interpretada por Emily Mortimer, indicada ao Goya de Melhor Atriz —, uma mulher gentil e otimista que decide abrir uma livraria numa pequena cidade costeira da Inglaterra, no final da década de 1950. Viúva há vários anos, tendo perdido o marido na Segunda Guerra Mundial, Florence acredita que quando lemos uma história “nós a habitamos. As capas dos livros são como telhado e quatro paredes: um livro é uma casa”.

50 frases de Drummond para carregar no bolso

50 frases de Drummond para carregar no bolso

A vida do poeta interplanetário Carlos Drummond de Andrade, nascido sob a proteção de um anjo torto na cidadezinha mineira de Itabira, de besta não teve nada. Além de ter colocado uma pedra no caminho (e no sapato) de muitos poetas municipais (e de bairro) Brasil afora, Drummond foi contista, cronista e um frasista de abalar a máquina do mundo. A Revista Bula selecionou 50 das mais belas, instigantes e provocadoras frases do mestre.