Livros

10 livros sobre pandemias em tempos de coronavírus

10 livros sobre pandemias em tempos de coronavírus

Com tantas notícias sobre o novo coronavírus, doença com os primeiros casos descobertos em dezembro de 2019, na China, livros sobre o tema estão reaparecendo nas listas de leitura espalhadas pela internet. Para os que preferem ler uma boa obra a se desesperar com o surto, a Bula reuniu em uma lista dez indicações.

Os 25 melhores romances brasileiros do século 21

Os 25 melhores romances brasileiros do século 21

A Revista Bula realizou uma enquete entre os meses de janeiro e agosto de 2018, com o objetivo de descobrir quais são, segundo os leitores, os melhores romances brasileiros publicados no século 21. A consulta foi feita a colaboradores, assinantes — a partir da newsletter —, e seguidores da página da revista no Facebook e no Twitter. Foram considerados apenas os romances brasileiros publicados a partir do dia 1º de janeiro de 2001, e apenas um livro por autor.

Todos os livros ganhadores do Pulitzer no século 21

Todos os livros ganhadores do Pulitzer no século 21

Desde 1917, o Pulitzer concede prêmios a jornalistas, escritores, artistas e fotógrafos pela excelência de seus trabalhos. A premiação, considerada uma das mais importantes do mundo, é anual e se divide em 21 categorias. Uma delas é dedicada a obras de ficção que se destacaram pela qualidade estética e importância simbólica. A Bula reuniu em uma lista todas as obras ganhadoras da categoria no século 21.

Cummings em tradução de Augusto de Campos

Cummings em tradução de Augusto de Campos

Senhor da razão, o tempo desfaz e cria novas razões. É provável que Augusto de Campos, daqui a alguns anos, se consagre, na cultura patropi, mais como tradutor e, em seguida, crítico literário (de poesia). O poeta continuará sendo citado, e não apenas nos rodapés, mas não como Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Melo Neto (ficará aquém inclusive do hermano Haroldo de Campos).

10 livros feministas essenciais

10 livros feministas essenciais

A Biblioteca Pública de Nova York selecionou algumas obras fundamentais para refletir sobre as conquistas das mulheres e suas contribuições para a história e sociedade. A seleção de Lynn Lobash, gerente do departamento de serviços ao leitor da Biblioteca, reúne livros influentes da história do feminismo, essenciais para entender o movimento pelos direitos das mulheres. Alguns destaques são “Um Teto Todo Seu” (1929), de Virginia Woolf; e “Política Sexual” (1970), de Kate Millett.

Os 10 livros mais lidos da língua espanhola

Os 10 livros mais lidos da língua espanhola

Na literatura, alguns dos maiores e mais celebrados autores do mundo escreviam originalmente em espanhol. Com base nas pontuações e críticas deixadas pelos seus usuários, a rede de leitores Alibrate fez um ranking com os dez livros da língua espanhola mais lidos. A Bula reuniu em uma lista as obras citadas, juntamente com suas sinopses.

33 livros fundamentais escritos por mulheres

33 livros fundamentais escritos por mulheres

A Bula reuniu em uma lista os livros escritos por mulheres que marcaram a história da literatura e, ao mesmo tempo, promoveram mudanças estruturais na sociedade e também de pensamento — seja pelo teor da obra ou pelo simples fato de terem sido escritos por mulheres. A seleção reúne obras de diferentes estilos e gêneros cobrindo um período de 150 anos.

Simone de Beauvoir: Uma Vida

Simone de Beauvoir: Uma Vida

Sartre e Simone de Beauvoir são figuras tão gigantescas (portanto, não meramente stalinistas), tão vivas no imaginário intelectual e político da Europa (talvez do mundo), que não podem ser descartadas. São interessantíssimas. Parecem, por vezes, personagens de literatura que escaparam de um livro de Dostoiévski — ou talvez de Stendhal — e se tornaram seres reais.

15 livros extraordinários para ler em um dia

15 livros extraordinários para ler em um dia

Um clássico dito popular sugere que “tamanho não é documento”. Algumas obras clássicas literárias provam que, quando o assunto é literatura de qualidade, o provérbio está mais do que correto. Com no máximo cem páginas, títulos como: “A Festa de Babette” (1950), de Karen Blixen; “A Morte de Ivan Ilitch” (1886), de Lev Tolstói; “O Paraíso São os Outros” (2014), de Valter Hugo Mãe; e “O Alienista” (1882), de Machado de Assis; não deixam nada desejar em relação a livros de maior extensão.