Filmes

21 filmes que de tão ruins são bons

21 filmes que de tão ruins são bons

Alguns filmes são inapelavelmente desastrosos, como o besteirol de ficção científica da Cientologia “A Reconquista” e o desanimado filme erótico de Sylvester Stallone “O Garanhão Italiano”. Para esses não há salvação. Por outro lado, existem filmes que num primeiro olhar parecem obras menores, mas basta assistir com alguma atenção para perceber que são pequenas pérolas. “Jogos Mortais”, “Tuff Turf”, “Porky’s” e “Um Drink no Inferno” são alguns exemplos. Numa categoria mais sutil estão os filmes que de tão toscos, excêntricos e exagerados conseguem dar a volta completa no espectro de gradação e ficam bons, ou, no mínimo, curiosos.

Era Uma Vez em Tóquio: a velhice é a pior das doenças

Era Uma Vez em Tóquio: a velhice é a pior das doenças

“Era Uma Vez em Tóquio” não é apenas uma obra-prima do cinema. Trata-se de um legítimo tratado cinematográfico sobre as consequências cruéis do envelhecimento. Sobre como a presença física dos seres humanos podem desvelar um abandono sentimental que se esconde, fingido e hipócrita, sob a capa da tradição familiar. Para Ozu, importante não é o suspense do que está por vir, mas sim o que está acontecendo. Ou melhor: o que já aconteceu. Suas personagens são ineptas em compreender o presente, que só adquire significância quando convertido em um passado resignante, do qual a ninguém é dado escapar.

30 filmes clássicos para morrer antes de ver

30 filmes clássicos para morrer antes de ver

Nos meses de junho, julho e agosto de 2013 pedimos a colaboradores, leitores e seguidores, que apontassem, entre filmes clássicos de diretores brasileiros ou estrangeiros, quais eram os piores que haviam visto ou pelo menos tentado ver. Mais de 500 votos foram computados. A partir das respostas, foi elaborada uma lista sintetizando a opinião dos participantes. Diferentemente da lista anterior, nesta foram selecionados apenas filmes considerados clássicos e somente um por diretor — aquele que obteve o maior número de citações.

Os 10 melhores filmes, segundo Stanley Kubrick

Os 10 melhores filmes, segundo Stanley Kubrick

Em comemoração ao 85º aniversário de Stanley Kubrick, a “Sight & Sound Magazine” resgatou e publicou a única lista de melhores filmes assinada pelo diretor norte-americano, considerado um dos mais importantes cineastas de todos os tempos e autor de clássicos como “Spartacus”, “Dr. Fantástico”, “2001 — Uma Odisseia no Espaço”, “Laranja Mecânica” e “O Iluminado”. A lista foi encomendada pela revista americana “Cinema”, em 1963, quando Stanley Kubrick tinha apenas 36 anos.

Os 10 melhores filmes da história do cinema, segundo Woody Allen

Os 10 melhores filmes da história do cinema, segundo Woody Allen

Numa enquete promovida pelo British Film Institute sobre os melhores filmes de todos os tempos, o diretor de “Annie Hall”, “Crimes e Pecados”, “Manhattan” e Meia Noite em Paris, o cineasta americano Woody Allen — sempre averso a enquetes e listas — elegeu aqueles que seriam os maiores filmes da história do cinema e suas principais influências. A lista contempla filmes realizados entre 1937 e 1972 e traz diretores como François Truffaut, Vittorio de Sica, Federico Fellini, Luis Buñuel, Jean Renoir, Stanley Kubrick, Akira Kurosawa e Ingmar Bergman.

Os 10 melhores filmes da história do cinema, segundo Francis Ford Coppola

Os 10 melhores filmes da história do cinema, segundo Francis Ford Coppola

Dando sequência a enquete promovida pelo British Film Institute sobre os melhores filmes de todos os tempos, o diretor de “O Poderoso Chefão”, “Apocalypse Now” e “O Selvagem da Motocicleta”, o produtor, roteirista e cineasta norte-americano Francis Ford Coppola — indicado 14 vezes ao Oscar e 5 vezes a Palma de Ouro de Cannes e aclamado internacionalmente por dirigir a trilogia “The Godfather”— elegeu aqueles que seriam os maiores filmes da história do cinema e sua principais influências.