Filmes

100 filmes essenciais da história do cinema, segundo a National Society of Film Critics

100 filmes essenciais da história do cinema, segundo a National Society of Film Critics

A Sociedade Nacional de Críticos de Cinema, dos Estados Unidos, selecionou os 100 melhores filmes de todos os tempos. A seleção foi realizada levando-se em conta não apenas padrões estéticos e técnicos, mas outras questões intrínsecas. De acordo com os críticos, foram avaliados o papel que o filme ocupa no desenvolvimento da arte cinematográfica e o impacto na cultura e na sociedade. Características que, de acordo com eles, tornam as produções essenciais.

Os 100 momentos mais marcantes da história do cinema

Os 100 momentos mais marcantes da história do cinema

Antes de morrer, em 2013, o crítico de cinema Roger Ebert divulgou uma lista de 100 grandes momentos do cinema que agradou em cheio aos cinéfilos. Embora ele não os tenha numerado, pois não é um ranking, acrescentamos os números para facilitar o trabalho de quem quiser confrontar as informações com o que mostram os filmes. Considerado um dos mais influentes críticos americanos, Ebert era dotado de admirável capacidade de observação. Em muitos casos são minúcias que escapam à percepção de espectadores distraídos.

Os 10 filmes mais tristes da história do cinema

Os 10 filmes mais tristes da história do cinema

Os filmes possuem a capacidade de provocar sentimentos diversos em quem os assiste, como alegria, raiva, incômodo e, principalmente, tristeza. Afinal, todos já se emocionaram ao menos uma vez na vida assistindo a alguma história dramática. Para relembrar os filmes que mais arrancaram lágrimas dos espectadores, a Bula reuniu em uma lista as produções cinematográficas mais tristes da história do cinema.

As 11 melhores comédias românticas da história do cinema

As 11 melhores comédias românticas da história do cinema

A comédia romântica é como o faroeste, existe uma receita que deve ser seguida. Mas essa receita só funciona se os ingredientes forem muito bem medidos e corretamente misturados. Ao mesmo tempo, o prato final só fica realmente saboroso se o cozinheiro souber colocar algumas pitadas de temperos originais e inesperados. No final das contas, quem está certo é o Homem-Aranha na narração inicial de seu primeiro filme: toda história que vale a pena ser contada envolve uma garota.

Os melhores filmes de todos os tempos, segundo nove diretores fundamentais

Os melhores filmes de todos os tempos, segundo nove diretores fundamentais

Nem sempre escolher que filme assistir é uma tarefa fácil. Mesmo com diversas listas de recomendações na internet, ou a possibilidade de verificar a avaliação que cada filme possui nos serviços de streaming, muitas vezes o espectador tem a sensação de ter perdido um valioso tempo de sua vida quando vê os créditos começando a subir na tela. A situação seria diferente se fosse possível receber recomendações de diretores de cinema renomados nos momentos de dúvida.

O Homem que Matou o Facínora

O Homem que Matou o Facínora

Leia um ensaio do crítico literário Davi Arrigucci Jr. — na verdade um resumo de uma tese de doutoramento defendida na USP — sobre “O Homem que Matou o Facínora” (The Man who shot Liberty Valance, 1961), de John Ford, com John Wayne, James Stewart, Vera Miles, Edmond O’Brien, Vera Miles. “O Homem que Matou o Facínora” é o maior faroeste já feito. John Ford lança um olhar crítico sobre os heróis, ao mostrar que todas as lendas, foram mitificadas para se tornarem parte da história. Se o filme de Ford é uma unanimidade, ou, no mínimo, quase. A análise do crítico é, também, antológica.

15 filmes que são diamantes para o cérebro

15 filmes que são diamantes para o cérebro

Trata-se de uma tentativa de orientar o leitor da Bula — por certo, alguém que preza pelo que há de mais refinado no campo da cultura — no mar de referências cinematográficas. Como sói acontecer, a lista é estritamente pessoal: ela elenca obras que agradam ao meu gosto estético na arte cinematográfica. Basta pensar que, tivesse outro autor assinado a lista, as referências decerto mudariam (talvez ele viesse a público afirmar que “Curtindo a Vida Adoidado”, do diretor John Hughes, é superior aos filmes do Godard, opinião que eu nunca endossaria). A lista também é limitada: são apenas 15 filmes, o que incontornavelmente deixará de fora muitas obras relevantes.