Diários do Aran

O melhor e o pior de 2019

O melhor e o pior de 2019

Foi um ano bacana. Acabou a série “Veep”, uma das comédias mais bem escritas da década, mas em compensação tivemos as segundas temporadas das excelentes “Barry” (HBO) e “O Método Kominsky” (Netflix). “Game of Thrones” teve um final que desagradou Starks, Lannisters e Targaryens, mas pelo menos a Marvel encerrou um longo ciclo com o ótimo “Avengers: Endgame”. Chegou o momento de distribuir premiações para o melhor e o pior de 2019.

Como assistir Um Dia de Chuva em Nova York

Como assistir Um Dia de Chuva em Nova York

Se Hollywood não vivesse momento tão obtuso é possível que Elle Fanning fosse indicada ao Oscar de Melhor Atriz por “Um Dia de Chuva em Nova York”. E Selena Gomez, quem sabe, talvez pegasse Melhor Atriz Coadjuvante. Mas são tempos carolas e caretas, com muita gente autoritária querendo salvar a humanidade dela mesma. Todos com as melhores intenções, é claro.

Como a HBO transformou Watchmen numa Zorra Total

Como a HBO transformou Watchmen numa Zorra Total

Escrevi sobre o quadrinho, o filme do Zeca Isnáida e agora, finalmente, vou falar sobre a série de HBO. Este texto foi escrito depois do quarto episódio e já dá para concluir algumas coisas. A primeira: quem gosta do filme do Zeca Isnáida não vai curtir a série, que é uma continuação da graphic novel e não da bos, digo, da brilhante produção zeca-isnaidiana.

Como Zack Snyder destruiu Watchmen

Como Zack Snyder destruiu Watchmen

Zeca Isnáida só entende de câmera lenta e personagens bidimensionais como o Leônidas do insuportável “300”, um filme ruim inspirado numa HQ que também é um lixo. Melhor nem entrar nas considerações políticas sobre esse quadrinho menor de Frank Miller para não provocar a militância fascistoide das redes.

Como vigiar os Watchmen

Como vigiar os Watchmen

Alan Moore é uma prima-doma e dá chilique cada vez que uma obra sua é adaptada ou ganha sequência. No caso de “Watchmen”, a encrenca vem de longe. Em 1984, Moore foi contratado para introduzir no Multiverso DC os personagens da editora Charlton Comics, recém adquirida pela DC.

Como fazer comentários

Como fazer comentários

Escrever “não vou nem ler”, “parei no título” e “não li e não gostei” não é exatamente um comentário. Imagine que Charles Darwin o encontre num coquetel e pergunte: “O que achou do meu livro, ‘A Origem das Espécies’?” e você responda: “Parei no título!”. Darwin ficaria tão desanimado que nunca mais escreveria nada, condenando todos nós a sermos macacos até hoje.

Como “Coringa” explica o fascismo

Como “Coringa” explica o fascismo

Nos Estados Unidos, o filme foi acusado de incitar desajustados sociais a promover massacres. A justificativa é que a maioria dos ataques em escolas foram perpetrados por brancos, celibatários e vítimas de bullying iguais ao Coringa. É o mesmo que dizer que quem assiste “O Iluminado” sai perseguindo a família com um machado. O mundo perdeu a noção do ridículo.

Como falar com uma feminista

Como falar com uma feminista

Alguns antropólogos defendem que as tribos isoladas, ou não contatadas, têm direito à autodeterminação e devem ser deixadas em paz. Sociólogos, por outro lado, acreditam que a interação entre os povos é o caminho para o progresso e isso só é possível por meio da comunicação. No caso da feminista, no entanto, é preciso muito cuidado e tolerância para que a relação seja positiva.

Como beber Jack Daniels

Como beber Jack Daniels

Semana passada, por exemplo. Semana passada, escrevi na Revista Bula um textinho sobre whisky. Nem bem a coisa tinha sido uploadada e a redação já estava cercada por uma multidão de aldeões com tochas e forcados gritando: “Justiça para o Jack Daniels! Dê-nos a cabeça do Aran!”

Como beber whisky

Como beber whisky

Antes de beber, compre o whisky. Algumas pessoas costumam entrar em lojas de bebidas e sair bebendo, mas isso dá encrenca. Por algum motivo misterioso, gente que bebe não tem credibilidade alguma com a polícia, enquanto os donos de loja têm bastante. Certifique-se, contudo, de que a loja realmente vende bebida. Tentativas de comprar whiskies em açougues ou petshops são mal sucedidas em 93% dos casos, diz pesquisa.