20 insultos literários

A literatura é um terreno fértil para intrigas. Não foram poucas as vezes que nomes consagrados deixaram a elegância de lado e alfinetaram colegas de ofício. Pequenas declarações se transformaram em polêmicas gigantes e inimizades eternas. Neste post, publico uma seleção de insultos literários. A lista compila “grosserias” de escritores de díspares perfis, nacionalidades e épocas. Na seleção aparecem escritores canonizados como William Faulkner, Ernest Hemingway, Virginia Woolf, Gore Vidal, Oscar Wilde, Truman Capote, Nietzsche e Henry James. Em comum entre eles, o fato de um dia, por mera provocação, impulso, raiva, terem externado suas opiniões pouco elegantes sobre seus companheiros de ofício.

“A Sangue Frio”, romance de Truman Capote, é uma farsa jornalística?

O romance de não-ficção “A Sangue Frio”, de Truman Capote, sustenta-se em pé como literatura? A forma como Capote usa recursos da ficção para alargar o conhecimento da realidade é excepcional e a obra merece sua fama. Mesmo agora, quando põem em dúvida a história do escritor norte-americano, alegando que há dados imprecisos e outros fantasiosos, é possível afirmar que se trata de um grande romance — tão bom que Capote nunca escreveu algo do mesmo porte. Ele não era o Proust que se imaginava ser.