Consertando Star Wars — A Conversão Sombria

Consertando Star Wars — A Conversão Sombria

2015 promete ser o ano do renascimento de “Star Wars” nos cinemas. Em dezembro vai estrear o sétimo episódio da saga, dessa vez sem George Lucas na direção ou no roteiro. Felizmente. É, sobretudo, uma troca de gerações: sai Lucas, o criador, entra J. J. Abrams, um fã que se tornou cineasta.

Na primeira parte de “Consertando Star Wars”, eu propus um enredo alternativo para o que poderia ter sido o fraco “Episódio I — A Ameaça Fantasma”, de 1999. Não se perde tempo com subtramas sobre taxas e impostos, indo direto para ação, para a Guerra dos Clones. Anakin Skywalker é apresentado como um grande piloto, não como um menino escravo. Não há sugestão de pedofilia, uma vez que tanto Anakin quando Padmé Amidala são adultos. Anakin não construiu C3PO com sucata. O mestre de Obi-Wan Kenobi é Yoda, não Qui-Gon Jinn. E, claro, obviamente, não cito midi-chlorians. Na verdade, o principal objetivo da proposta, colocada na forma de sinopse, é resolver as incongruências que Lucas criou ao produzir os episódios I, II e III negando, vulgarizando ou contradizendo elementos estabelecidos na primeira trilogia, composta pelos episódios IV, V e VI.

Continuamos a proposta tentando refazer o que foi “Episódio II — O Ataque dos Clones”, incluindo a mudança de seu título banal.

Sobe a música. Logo da Fox. Tela escura.

“Há muito tempo, numa galáxia distante”.

Star Wars — Episódio II: A Conversão Sombria

Num plano sequência, a câmera começa no espaço vazio e vai se aproximando de um planeta sobre o qual ocorre uma batalha entre naves da República e dos Separatistas. Ainda sem cortes, a câmera atravessa a atmosfera, mostrando uma superfície montanhosa e com densas florestas. Percorrendo a paisagem, ouve-se explosões, cada vez mais próximas, e chegamos até um vasto campo devastado, onde lutam wookies, jedis e clones da República contra dróides separatistas. Após uma panorâmica do cenário de guerra, ocorre o primeiro corte. Vemos um close de Anakin Skywalker exibindo a trança característica dos padawans, os aprendizes jedi. Ele está furioso, atacando e destruindo dezenas de dróides. De repente, seu sabre de luz e contido por outra lamina laser. É Obi-Wan Kenobi que lhe fala: “sem ódio, e sem medo, Anakin”. Anakin consente com um gesto de cabeça. Juntos, avançam contra as tropas inimigas. Os dois jedis passam por um wookkie que reconhecemos como sendo Chewbacca, a quem acompanhamos lutar por alguns momentos, atirando com sua besta laser.

O tempo passa, chega o por do sol. A batalha terminou. Diversos jedis, wookies e clones estão espalhando no campo, com milhares de dróides destruídos a seus pés. Foram os vencedores. Chewbacca está exausto, segurando a cabeça de um dróide. Urra. Obi-Wan parabeniza Anakin, que vai se retirando quando seu mestre lhe diz: “você está pronto”.

Cerimônia de sagração de Anakin como Cavaleiro Jedi. Numa sala à meia luz, diversos jedis o cercam em silêncio. Ele está ajoelhado. Yoda dá um sinal ao grupo. Obi-Wan aciona seu sabre de luz e faz menção de atacar seu discípulo. Na verdade, cortou a trança padawan. Anakin se levanta orgulhosamente. Agora é um jedi completo e formado.

Ao sair do salão, Anakin vê Mace Windu parado. O mestre não quis entrar, pois é contra a permanência de Anakin na Ordem Jedi. Considera-o perigoso. Se encaram em silêncio. Mace Windu sai. Uma tomada aberta mostra Anakin solitário, parado no meio do corredor.

Em seguida, Anakin entra em uma nave e pilota pelos céus de Coruscant, o planeta cidade. Chega a uma região periférica. Desce da nave usando um capuz. Fica diante de uma porta. Logo ela se abre e aparece C3PO, que, formalmente, lhe diz: “a senadora o espera”. Anakin passa pelo dróide de protocolo, praticamente o ignorando. Ao final de um corredor escuro, Padmé espera por Anakin, que retira o capuz. Entram juntos em um quarto. R2D2 fica do lado de fora, resguardando o casal. Lança sons de descontentamento.

Reunião do Conselho Jedi. Yoda, Mace Windu, Obi-Wan e outros mestres discutem com o chancelar Valorum sobre o desenrolar da Guerra dos Clones. Yoda comenta acerca da estranha influência exercida por Palpatine, o líder separatista, exerce sobre diversos líderes de sistemas planetários. O chancelar informa que os Separatistas, para reagir às vitórias conquistadas pelo exército de clones, contrataram os serviços de milhares de mercenários mandalore, os mais perigosos guerreiros de aluguel da galáxia.

Anakin e Padmé observam a cidade de uma sacada. Obi-Wan, por um holograma, chama Anakin pelo comunicador. O convoca para uma missão. Receberam o informe da localização do líder mandalore Boba Fett. Devem localizá-lo e detê-lo. De repente, Obi-Wan para de falar, sentindo que algo está errado, e pergunta para o ex-discípulo se ele está sozinho. Padmé se esconde nas sombras da sacada. Anakin mente, dizendo que sim, que está sozinho. Desliga o holograma.

Uma nave pequena pousa em um planeta com a superfície repleta de aberturas de cavernas. Descem Obi-Wan, Anakin e alguns clones. Fazem uma varredura e entram numa delas. Percorrem grandes galerias. Anakin fala: “Tenho um mau pressentimento sobre isso”. Surge Boba Fett e diversos mercenários mandalore atirando. Obi-Wan grita: “é uma armadilha!”. Os clones são abatidos. Os jedis rebatem os lases com os sabres de luz. Avançam. Os mandalore recuam. Abrem espaço, revelando que Palpatine está entre eles. Palpatine lança um raio em Obi-Wan e o deixa fora de combate. Em seguida foge, junto com os mercenários. Anakin vai até Obi-Wan. Verifica que ele está desmaiado. Obi-Wan recupera a consciência e diz para o parceiro que Palpatine é um sith. Anakin diz que vai encontrá-lo. Obi-Wan conclui que é melhor partirem, pois não está em condições de lutar e Anakin não deve enfrentá-lo sozinho. O jovem jedi não concorda. Afirma que pode derrotar o sith facilmente e sai em perseguição a Palpatine, deixando Obi-Wan para trás.

George Lucas

George Lucas: “tanto trabalho para fazer e querem mudar meu filme”

Após percorrer galerias escuras. Nas sombras vislumbramos o espectro de Qui-Gon Jinn. Anakin entra em um salão rochoso. Palpatine está lá, calmante sentado. Darth Maul se encontra a seu lado. Palpatine ordena que Darth Maul ataque Anakin. Os dois lutam. Após um combate violento, Anakin vence. Rende Darth Maul, lhe dizendo que “agora é um jedi”. Palpatine sugere que Anakin mate seu aprendiz. Anakin, sem conseguir controlar sua natureza violenta, decepa a cabeça do adversário. Em seguida, avança contra Palpatine, para prendê-lo. O sith atinge Anakin com um raio, jogando-o contra a parede. Palpatine se levanta e diz: “Se você quiser esse poder, vou deixar que me encontre”. Sai. Chega Obi-Wan e ajuda Anakin a se recuperar. Ao mesmo tempo, o repreende por ter sido descuidado e orgulhoso.

Os dois informam ao conselho jedi que Palpatine é um sith. Mace Windu comenta que se Darth Maul está morto, Palpatine vai procurar um novo aprendiz. Close em Anakin.

Anakin encontra Padmé. Sorridente, a senadora o informa que está grávida de gêmeos. Ele responde que jedis não podem ter filhos. Sai.

Sequência de cenas da Guerra dos Clones, com diversos confrontos entre mercenários mandalore, jedis e clones. Em paralelo, cenas mostrando o desenvolvimento da gravidez de Padmé. C3PO, R2D2 e Bail Organa a acompanham.

Anakin se torna cada vez mais violento em combate. Obi-Wan e Mace Windu o observam preocupados. Capturam um mercenário mandalore. No interrogatório, Anakin o sufoca usando a Força. Pergunta aos gritos onde está Palpatine. Mace Windu ordena que pare. O prisioneiro não cede. Obi-Wan segura a mão do parceiro. O prisioneiro cai morto.

Padmé dá à luz a dois filhos. Um casal: um menino louro e uma menina morena. Anakin observa as crianças pelo vidro da maternidade. Close em Luke Skywalker, a criança loura. Chega o rei Bail Organa, acompanhado de R2D2 e C3PO. Bail e Anakin se encaram. C3PO comenta que os recém-nascidos são bons exemplares de humanos. Anakin sai.

Anakin se apresenta diante do Conselho Jedi. Yoda o informa que foram alertados sobre suas atitudes em combate. Irônico, Anakin responde que “pensava que estava lutando em uma guerra”. Olha para Obi-Wan. Depois para Mace Windu. Yoda decreta que Anakin será advertido e suspenso de ações oficiais da Ordem Jedi. Anakin se retira. Do lado de fora do salão, quando Anakin se vê sozinho, alguns móveis voam no ar.

Anakin vai para um bar. Bebe no balcão, quando aparece uma pessoa que ele pensa ser Jango Fett. Entrega para ele um aparelho com coordenadas espaciais. Diz: “quem você procura o espera nesse sistema”. Depois desaparece.

Anakin vai para o hangar e pega uma nave. Escuta a voz de Qui-Gon Jinn pedindo que não vá. Ignora e parte, no efeito túnel de luz. Chega ao planeta vulcânico Mustafá. Sente o chamado de Palpatine. Vê alguns dróides e soldados mandalore que não o atacam. Abrem caminho para ele. Chega até uma fábrica de dróides de guerra. Palpatine o aguarda. Ficam um diante do outro numa distância de alguns metros. Antes que possam falar qualquer coisa, Palpatine percebe que algo está errado. Segundo depois, um grupo de jedis, liderados por Mace Windu e Obi-Wan entram. Perseguem Palpatine. Apenas Obi-Wan fica para trás, para conversar com Anakin.

Anakin acusa a Ordem Jedi de usá-lo como isca para chegar até Palpatine. Obi-Wan diz que tiveram que fazer isso para protegê-lo da tentação do caminho rápido e fácil que o Lado Negro da Força promete para chegar ao poder. Anakin grita que não precisa ser protegido, que sabe que é o jedi mais poderoso e que o Conselho, por temer seu poder, o contêm, censura e atrapalha. Enfurecido, ataca Obi-Wan que, inicialmente, apenas se defende, pedindo que Anakin pare. Depois, sem alternativa, começa a atacá-lo também.

Lutam. Em paralelo vemos os outros jedis perseguindo Palpatine, que os ataca com os raios sith. Obi-Wan derrota Anakin, decepando suas pernas e o lançando na lava. Palpatine é encurralado, mas consegue fugir escapando por uma passagem secreta na parede. Anakin se arrasta para fora da lava, muito ferido e queimado. Obi-Wan, usando a Força, apaga as chamas que consomem Anakin. Olha resignado para seu antigo parceiro e diz: “Você fez isso para si, Anakin. Mas eu não posso terminar o que você começou”. Sai.

Obi-Wan encontra os outros jedis e é informado que Palpatine conseguiu escapar. Perguntam por Anakin. Obi-Wan diz que ele não conseguiu. Mace Windu retruca que ainda sente a presença dele, enfraquecido, mas que ainda está lá. Obi-Wan faz um gesto para saírem. Mace Windu compreende e todos saem.

Anakin se arrasta pelo chão. Ao longe, a nave dos jedis parte. Anakin vê o espectro de Qui-Gon Jinn. Atravessando-o surge Palpatine, que ordena para alguns dróides que carreguem o moribundo para sua nave.

Numa enfermaria de guerra, o corpo de Anakin é tratado por dróides médicos. Montam sobre sua carne queimada uma armadura negra.

Anakin, agora como Darth Vader, percorre os corredores de um cruzador de guerra. Provoca medo entre os tripulantes.

Olhando pela janela de uma estação espacial surge Palpatine e o almirante Tarkin, líder militar dos Separatistas, escoltados por Boba Fett e um dróide de combate. Tarkin pergunta para Palpatine, se referindo a Vader: “ele é confiável?”. Palpatine responde: “Seu ódio vai nos dar a vitória”. Observam a nave de Vader partir, numa referência visual ao final de “O Império Contra-Ataca”.

Em breve: “Star Wars — Episódio III: A Ascensão do Império”.