Os 10 melhores finais de livros da literatura universal

Os 10 melhores finais de livros da literatura universal

Pedimos aos leitores e colaboradores que apontassem os melhores finais de livros da literatura universal. Noventa e dois títulos foram citados por 1,8 mil participantes, destes, selecionamos os dez livros que obtiveram mais citações. A seleção percorre 130 anos de literatura, de “Crime e Castigo”, de Fiódor Dostoiévski, publicado em 1866, a “À Espera dos Bárbaros”, de J. M. Coetzee, publicado em 1980. Além de Dostoiévski e Coetzee, integram a lista: “On The Road”, de Jack Kerouac; “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez; “1984”, de George Orwell; “Nada de Novo no Front”, de Erich Maria Remarque; “Lolita”, de Vladimir Nabokov; “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald, e “O Estrangeiro”, Albert Camus. Três autores: Fiódor Dostoiévski, Vladimir Nabokov e Gabriel García Márquez, que aparecem na lista atual, já apareceram na lista de melhores começos, publicada anteriormente.

12864