Os 10 maiores anti-heróis da literatura

Os 10 maiores anti-heróis da literatura

A Librotea, página especializada em recomendações de livros do jornal “El País”, publicou uma seleção com os maiores anti-heróis da literatura mundial. Esses personagens, “apesar de representar a antítese do socialmente desejado, exercem polos de atração irresistíveis”. Alguns mais do que outros, são responsáveis por eternizar as obras que protagonizam. Entre os selecionados destacam-se: Lázaro, de “A Vida de Lazarilho De Tormes” (1554), cujo autor é desconhecido; Holden Caulfield, de “O Apanhador no Campo de Centeio” (1951), de J. D. Salinger; e Woland, o satã de “O Mestre e Margarida” (1967), do escritor Mikhail Bulgákov. Os comentários das obras são adaptados das sinopses das editoras.