A vida é muito curta para se pagar todas as dívidas

A vida é muito curta para se pagar todas as dívidas

É tanta dívida, que sobra pouco espaço para a vida plena. Parece uma maldição semântica: a palavra “vida” está contida em “dívida”. Para se viver com o mínimo de dignidade é preciso abstrair-se das dívidas. Se levarmos em conta que dívida não é uma coisa boa, não sobraria espaço para coisa boa na vida. Pois semanticamente a palavra “dívida” é maior que “vida”.

A vida é muito curta para fazer dieta

A vida é muito curta para fazer dieta

A vida é mesmo muito curta. Quantas vezes ouvimos falar que o tempo voa, quantas vezes os mais experientes nos disseram que queriam ter descansado mais, viajado mais, aproveitado mais os companheiros, os filhos. A gente nem vê os dias passando, justamente porque prevemos muita vida pela frente. Imagine quanto tempo nós já perdemos negando prazeres, deixando para aproveitar depois mesmo sabendo que nada retrocede. Então, de que adianta sermos prisioneiros de nós mesmos, escravos do tempo? Se sabemos que somos feitos de agora, não faz sentido esperar para desfrutar amanhã.

Ninguém basta a si mesmo. Não nascemos para ser sozinhos

Ninguém basta a si mesmo. Não nascemos para ser sozinhos

A vida perfeita é uma ilusão. Percorremos descalços pela estrada de paralelepípedos desalinhados da nossa existência: os pés machucam, e sangram; desistem, e param. Mas seguimos o caminho porque as cicatrizes nos mostram que ainda suportamos. Cicatrizes não são lembranças da morte, elas são as marcas de nossos milagres.

Se tudo der certo, em cinco anos estarei louco

Se tudo der certo, em cinco anos estarei louco

Tenho cinquenta anos mal vividos. Penso que vou morrer de bala. A bela da tarde aparece nos meus sonhos quase todas as noite, mas some, nem bem amanhece o dia, a deixar aquele cheirinho de sêmen no lençol da cama. Nem venham! Tem tempo que não sofro de poluções noturnas ao sonhar em ficar rico. Um pobre diabo voltou para o inferno ao saber que não eu não cria mais em almas e testes-cegos com sabão em pó. Só não vê quem não quer: não há nada de novo no front. Se tudo der certo, em cinco anos estarei louco.

O amor não passa de um filme em cartaz

O amor não passa de um filme em cartaz

O amor não é genuíno, ninguém nasce amando ninguém, o amor é uma construção humana. Apreendemos a noção/ideia e possibilidades do amor através das relações que estabelecemos e, fundamentalmente, através do modo como as relações inicialmente nos são ofertadas e afetadas desde a mais tenra infância. Construímos o amor fundador na relação com os pais, sendo primordialmente amados por alguém, vistos e atravessados pelo olhar que o outro nos confere no início da vida e no percurso sequente dela.

Viaje! O que você viver ninguém poderá roubar

Viaje! O que você viver ninguém poderá roubar

Nunca imaginei que um homem inteligente como Aurélio (aquele do dicionário!) pudesse ser tão pouco criativo. Segundo ele, viajar é “percorrer em viagem; viajar terras: andar por muitas terras; fazer viagens; andar em viagens”. Ora essa, onde já se viu tanta pobreza de definição? Se eu pudesse definir o verbo viajar, dedicaria a ele um pergaminho inteiro. Um daqueles enormes, que se desenrolam por metros e metros como tapete de letras cursivas e saudosas. Dedicaria a este único verbo a gratidão e o amor, a alegria e o encantamento.

Não aceite o que não faz sentido. Mude, mas faça do seu jeito

Não aceite o que não faz sentido. Mude, mas faça do seu jeito

Por isso, cante a sua vida do seu jeito: faça o que é para ser feito e saiba ter alguns arrependimentos. Planeje cada passo a ser dado e vá até o fim. Mas, também, deixe algo por fazer e se jogue na estrada sem destino certo. Ria e chore, ame e sofra. E, tudo aquilo que fizer, faça sendo você mesmo. Pois um homem é aquilo que ele tem, e se ele não tem a ele mesmo, então não tem nada.