Como interpretar sonhos sem cair no ridículo

Como interpretar sonhos sem cair no ridículo

Enquanto eu dormia, minh’alma saiu pra dar um rolezinho e nunca mais voltou. Papai não gostou nada da brincadeira. Sou espirituoso. Ele é espiritualista. Às vezes me chama de espírito-de-porco. Ele cria e crê piamente que as almas dão sim os seus passeios enquanto estamos dormindo. Ninguém enxerga, mas lá estão elas, a rosetar pelo limbo. Por que motivo elas não permanecem ali, nem eu, nem ele saberíamos dizer. Eu, se fosse uma alma com hábitos noturnos, pessoalmente, ainda que pequena, ainda que valesse a pena, não voltaria para o meu corpo nem às custas de um despertador gritando na escrivaninha.

O amor é outra coisa, mas o Edson Aran é isso aqui mesmo!

O amor é outra coisa, mas o Edson Aran é isso aqui mesmo!

O escritor Marcel Proust gostava de jogar uma brincadeira de salão chamada “Confissões”, onde os participantes respondiam perguntas pessoais. Em sua homenagem, hoje o jogo ficou conhecido como “Questionário Proust”. Querendo entender que outra coisa é essa que chamam de amor, a Bula fez uma sabatina das mais amorosas com o bedel do cupido, o jornalista, cartunista e escritor Edson Aran.

371
21 perfis do instagram para apaixonados por livros

21 perfis do instagram para apaixonados por livros

Rede social oficial de fotos feias de comida, de legendas de motivação com frases de Augusto Cury para qualquer ida à academia, e também de fotos de biquini na praia acompanhadas de grandes lições de vida, ou ainda de gatos, cachorros e crianças, o Instagram tem lugar para todo mundo. Inclusive aqueles que parecem não ter muitos lugares por aí: os leitores. Por isso, criei um pequeno guia de perfis que são essenciais para leitores que se levam a sério.

Dois homens se casam. Um deles traja vestido branco… O que a minha opinião sobre isso revela sobre mim?

Dois homens se casam. Um deles traja vestido branco… O que a minha opinião sobre isso revela sobre mim?

A célebre frase “é apenas a minha opinião” pode estar envolta pelo manto da liberdade de expressão, mas a coberta é curta e deixa os pés de fora. Antes de tudo, é fundamental que se busque enxergar o outro como irmão, partindo-se de pressupostos minimamente éticos. Usar esse manto para justificar qualquer forma de violência, calúnia, obscenidade ou subversão evidentemente não encontra substrato ético ou democrático.

Toda vez que deixamos de sonhar é como se deixássemos de existir

Toda vez que deixamos de sonhar é como se deixássemos de existir

Algumas pessoas afirmam que amor não passa, nunca acaba. E, se acontecer de o ser amado partir, quem fica, por pensar assim, passa a acreditar que aquele amor não era de verdade. Acontece que não existe verdade absoluta. O que existe é o que cada um sente, e a experiência de vida de cada um. Há aqueles que sentem amor quantas vezes a felicidade bater à sua porta. A paixão, que para uns é uma emoção passageira, para outros é sentimento sincero e profundo pelo tempo que durar.