Como sacudir a poeira e seguir caminhando de queixo erguido

Como sacudir a poeira e seguir caminhando de queixo erguido

Serenidade implica entender que a grandeza das coisas só é percebida quando existe uma comparação, mas que não se pode viver de ficar comparando tudo. Sabe-se que a Terra é pequena, porque se descobriu o universo, mas, por muito tempo, ela em si foi tida como universal. Não se pode ter medo de estabelecer algumas comparações na própria vida. É preciso compreender a dor do tombo para adquirir a faculdade mental de reconhecer o gozo de se reerguer.

A menina não tem que ser educada para ser princesa, mas para ser o que ela quiser

A menina não tem que ser educada para ser princesa, mas para ser o que ela quiser

Estudos sobre a influência dos contos de fada na formação do caráter infantil dizem que a fantasia dessas histórias abre portas para uma melhor compreensão do mundo pela criança. Através dos conflitos vividos por seus personagens, a criança passa a compreender a diferença entre o bem e o mal e entre o certo e o errado. Aprende que, apesar das injustiças e crueldades que a cercam, ainda vale a pena ter esperança.

1432
Não me venha com emoticons. Eu quero mais toque e menos touch!

Não me venha com emoticons. Eu quero mais toque e menos touch!

Você manda um currículo e não é chamado porque não tem todas as especificações que a vaga pede, porque não sabe todos os programas, não tem todos os cursos nem todas as formações acadêmicas. Também não fala todos os idiomas. É, meu amigo… Não adianta ser bom no que você faz. Isso não é o bastante para conseguir um emprego nos dias de hoje. Você precisa ser, praticamente, uma mistura de MacGyver com James Bond.

‘Deixar para amanhã’ é a maneira mais eficiente de jogar a vida fora

‘Deixar para amanhã’ é a maneira mais eficiente de jogar a vida fora

Não se trata aqui de um passeio trivial que não aconteceu ou da minha falta de vitamina D, que tem me prejudicado. Trata-se do hábito incorrigível que muitos temos de adiar felicidade como se a vida estivesse sempre disposta a nos devolver no futuro os momentos que hoje negligenciamos. O problema é que se por um lado a vida é generosa e oferece a possibilidade de recomeço, por outro ela é implacável quando resolve dizer: passou. Já era.

Se for pra ter um amor, que ele tenha olhos de ressaca

Se for pra ter um amor, que ele tenha olhos de ressaca

Não dá para viver de meias medidas, foi o que concluí depois de uns goles de vinho barato. Se a bebida fosse boa, talvez tivesse me mantido na humildade fabricada dos muito abastados. Mas há dias em que se está mais corajoso que o normal. Dias em que metas são traçadas e sonhos são sonhados. Tudo sem muita modéstia, tem dias em que se acorda para ser grande.

3328
Livro comprova a ligação de Pablo Escobar com governo cubano de Fidel e Raúl Castro

Livro comprova a ligação de Pablo Escobar com governo cubano de Fidel e Raúl Castro

Pablo Escobar mandou matar candidato a presidente, Luis Carlos Galán, juízes, empresários, jornalistas, rivais e ex-aliados. Sequestrou políticos e empresários. Inundou o mundo com a cocaína produzida na Colôm­bia e, mesmo todos sabendo que era traficante, chegou a ser parlamentar. Mudou leis, travou a aprovação de um projeto de lei que propunha a extradição de traficantes de drogas para os Estados Unidos. Comprava políticos, policiais, empresários, artistas famosos, jogadores de futebol. Era temido e admirado. Participou de um carnaval no Rio de Janeiro, saiu com mulatas e tinha predileção por mulheres virgens.

Somos nós que mudamos os livros que lemos, inserindo neles as nossas vivências

Somos nós que mudamos os livros que lemos, inserindo neles as nossas vivências

Sim, os livros me deram rumos e gostos literários, mas meus defeitos e idiossincrasias estão ainda aqui, bem cultivados e inflacionados, obrigado, obrigado. Nenhuma mudança sísmica como aconteceu na vida dos autores desses textos; no máximo, orçamento deficitário para manter o vício das leituras desorganizadas e doenças respiratórias causadas pelo acúmulo de poeira nas pilhas de livros ainda por ler. Creio, inclusive, que somos nós que mudamos os livros que lemos, inserindo neles as nossas vivências (Otto Lara Resende dizia que todo leitor sempre lê a si mesmo, ou algo assim). Mas vá lá: se o freguês quer, assim é (se lhe parece) — escreverei sobre os livros que “mudaram” a minha vida.