Autor: Euler de França Belém

Poemas 2006-2014, de Louise Glück

Poemas 2006-2014, de Louise Glück

A Cosac Naify fazia um trabalho primoroso na edição de livros de escritores estrangeiros. Publicava posfácios, críticas e informava o que havia sido lançado do autor em português, dando mostras de que não se importava com a concorrência, e sim com o intercâmbio cultural. A Companhia das Letras acaba de publicar uma edição de três livros da poeta americana Louise Glück, num só volume, mas sem os mesmos cuidados.

Livros fundamentais para entender George Orwell

Livros fundamentais para entender George Orwell

George Orwell se tornou aquilo que não gostaria de ser: uma indústria e um produto. A esquerda o reivindica como um dos críticos mais viscerais do capitalismo. De fato, era anticapitalista. A direita o reivindica como crítico radical do totalitarismo de esquerda, do comunismo. De fato, sua obra é uma crítica corrosiva do stalinismo que impregnou quase toda a esquerda no século 20.

Brasileiro publica um ‘google’ cult do melhor da literatura russa

Brasileiro publica um ‘google’ cult do melhor da literatura russa

“Como Ler os Russos” (Todavia, 300 páginas), do jornalista e tradutor Irineu Franco Perpetuo, de 50 anos, não é um livro tão-somente para iniciantes. Aqueles que apreciam a literatura russa, mesmo se têm uma formação mais ampla e sofisticada, ganharão com a leitura da obra. Porque, além de mostrar o que de melhor se escreveu na língua de Aleksandr Serguêievitch Púchkin — o Shakespeare ou Goethe da Rússia —, o autor apresenta as ideias de críticos categorizados.

Paulo Rónai, a história do judeu húngaro que a cultura e o Brasil salvaram do nazismo

Paulo Rónai, a história do judeu húngaro que a cultura e o Brasil salvaram do nazismo

O judeu Pál Rónai nasceu na Hungria, em de abril de 1907, e renasceu Paulo Rónai no Brasil em 1941. Pál e Paulo são a mesma pessoa — o húngaro que se tornou brasileiro. “O Homem Que Aprendeu o Brasil — A Vida de Paulo Rónai” (Todavia, 379 páginas), de Ana Cecilia Impellizieri Martins, é um livro notável sobre um indivíduo que deve ser tratado como um homem-civilização.