Autor: Euler de França Belém

Plínio Salgado: a história do fundador do movimento Integralista

Plínio Salgado: a história do fundador do movimento Integralista

O Estado Novo expurgou a esquerda comunista e a direita integralista da mesma maneira. O escritor (modernista), jornalista e político Plínio Salgado, depois de um golpe malsucedido, em 1938, acabou sendo exilado. Sua história tem sido contada, quase sempre do ponto de vista político e literário, mas o doutor em história João Fábio Bertonha decidiu analisar também o indivíduo no livro “Plínio Salgado — Biografia Política: 1895-1975” (Edusp, 401 páginas).

O Irlandês do filme de Scorsese apoiou Joe Biden para o senado em 1972

O Irlandês do filme de Scorsese apoiou Joe Biden para o senado em 1972

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, do Partido Republicano, parece considerar Joseph Robinette Biden Jr. — Joe Biden —, do Partido Democrata, como seu adversário mais forte para a disputa eleitoral de 2020. Por isso, estava decidido a manchar sua imagem, sugerindo uma investigação sobre as atividades de um filho, Hunter Biden, como conselheiro numa empresa de gás da Ucrânia.

O Irlandês, de Martin Scorsese, é uma obra-prima

O Irlandês, de Martin Scorsese, é uma obra-prima

Paulo Francis dizia que cada jornal tinha pelo menos 315 críticos de cinema. Mudou: hoje todo mundo é crítico de cinema. Mas, brincadeira à parte, a crítica de cinema patropi tem um grau de excelência rara. A “Folha de S. Paulo” publicou um texto do “Times” sobre o filme “O Irlandês”, de Martin Scorsese, que comenta a parceria entre o diretor e os atores Roberto De Niro e Al Pacino, mas nada explica sobre a película — o que Luiz Carlos Merten e Inácio Araújo fazem com categoria.

10 poemas de Emily Dickinson para ler antes de morrer

10 poemas de Emily Dickinson para ler antes de morrer

Não é uma fábula. Mas deve-se começar assim: era uma vez… Emily Dickinson. Quem? Simplesmente: a maior poeta dos Estados Unidos, a deusa, ao lado de Walt Whitman, o deus, o pai-fundador. O crítico literário Harold Bloom a percebe como uma espécie de Shakespeare dos Estados Unidos. Era mais: era Emily Dickinson, um gênio que não publicou dez poemas em vida. Mas deixou, guardadinhos, quase 2 mil poemas — a maioria de alta qualidade.

A paixão de Hannah Arendt pelo filósofo nazista Heidegger

A paixão de Hannah Arendt pelo filósofo nazista Heidegger

A obra de Hannah Arendt é cada vez mais influente e engana-se quem pensa que sua filosofia — por ser lida e discutida de maneira ampla — é superficial. Na verdade, é densa, mas, como escreve com clareza, é mais bem compreendida e estudada do que, por exemplo, Kant, um filósofo, a rigor, mais filósofo-filósofo. A judia alemã é uma filósofa-ensaísta e, nos seus estudos mais pesados, filósofa-filósofa.

Susan Sontag: a mulher que queria ser tudo

Susan Sontag: a mulher que queria ser tudo

Se alguém me pedisse para definir Susan Sontag numa frase, eu diria: “A intelectual que queria ser tudo”. Trata-se de uma mulher plural: crítica literária, ensaísta de primeira linha e, sim, prosadora (aquém da ensaísta, é certo, mas integrante de um ilustríssimo segundo time, assim como Edmund Wilson, que, como prosador, é membro de um honroso terceiro time).