Autor: Euler de França Belém

Obcecado por Tônia Carrero, Rubem Braga ameaçou se jogar no mar

Obcecado por Tônia Carrero, Rubem Braga ameaçou se jogar no mar

Na biografia, “Rubem Braga — Um Cigano Fazendeiro do Ar”, o jornalista Marco Antônio de Carvalho revela a extraordinária história da paixão desmedida de Rubem Braga pela atriz Tônia Carrero: certa vez, Rubem ligou para Tônia e ameaçou: “Abre a porta, senão eu vou me jogar no mar!” Não deu resultado. Então, o cronista foi para a porta do edifício e ficou andando na calçada, “caminhando para lá e para cá, bem visível, até que ela o recebesse”.

A fantástica história da Livraria Cultura

A fantástica história da Livraria Cultura

Pode-se dizer que um livro é um objeto delicioso? Creio que sim. É o caso de “O Livreiro” (Planeta, 218 páginas), de Pedro Herz, o empresário que dirige a Livraria Cultura — talvez a melhor do Brasil. Trata-se de um pequeno tesouro. Pedro Herz, de 77 anos, conta como surgiu a livraria, que tem 70 anos, e como está se processando a sua modernização. A rede conta com 17 lojas, 1,5 mil funcionários, 5 milhões de clientes e 9 milhões de produtos.

25 livros que são diamantes para o cérebro de jornalistas e estudantes de jornalismo

25 livros que são diamantes para o cérebro de jornalistas e estudantes de jornalismo

Listas são sempre lacunares e, portanto, insatisfatórias. Mas são bem-vindas, desde que seu autor esclareça que os livros mencionados não são camisas-de-força. As escolhas refletem o gosto pessoal e, até, idiossincrasias. A lista inclui livros de história, que são fundamentais para se conhecer o país e o mundo, de literatura, relatos jornalísticos, biografias.

A marcha da insensatez: redes sociais estão destruindo a sociedade civil

A marcha da insensatez: redes sociais estão destruindo a sociedade civil

Umberto Eco (1932-2016) disse que as redes sociais possibilitaram o surgimento — e quiçá uma hegemonia — de uma “legião de imbecis”. Antes, concentrados em bares, tomando vinho ou cerveja, “falavam sem prejudicar a coletividade. Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.