Autor: Enio Vieira

Get Back mostra o começo do fim dos Beatles

Get Back mostra o começo do fim dos Beatles

Imagine se fosse possível ver as imagens em movimento de Picasso pintando Guernica ou de Rodin esculpindo um de suas versões do pensador. As filmagens mostrariam o dia a dia do artista e seus estudos preparatórios para a grande obra. Momentos únicos que só quem estava por perto poderia saber os detalhes. O documentário “The Beatles: Get Back”, lançado pelo Disney Plus, coloca o espectador justamente dentro do círculo criativo dos mestres supremos da música do século 20.

Filmes da Netflix colocam o faroeste de cabeça para baixo

Filmes da Netflix colocam o faroeste de cabeça para baixo

Nos últimos dois anos, a Netflix lançou filmes que mostram o avesso do gênero clássico dos faroestes. É um sinal de transformação das narrativas que contam o mito fundador dos Estados Unidos, disseminado há quase cem anos pelo mundo inteiro. Recentemente, saíram “Ataque dos Cães”, de Jane Campion, e “Vingança & Castigo”, de The Bullitts. Ano passado, havia sido “Relatos do Mundo”, de Paul Greengrass. E antes, a série “Godless” (2017) apresentou um velho Oeste repleto de minorias sociais e étnicas.

Milton Hatoum investiga as desilusões históricas e da memória

Milton Hatoum investiga as desilusões históricas e da memória

O longa-metragem “Marighella” (2021), de Wagner Moura, por exemplo, é apenas o mais recente produto da batalha narrativa sobre o período político brasileiro de 50 anos atrás. No meio de tanta produção, o escritor Milton Hatoum começou em 2017 a publicação de uma trilogia de romances, chamada de “O Lugar Mais Sombrio”, que é um marco da reflexão na literatura contemporânea a respeito daquele período.

Povos da Amazônia inspiram novo pensamento filosófico

Povos da Amazônia inspiram novo pensamento filosófico

O aquecimento global, as mudanças climáticas, deixaram de ser assunto exclusivo de ambientalistas. Há um novo pensamento filosófico e mesmo literário sendo construído a partir da experiência indígena na Amazônia. Um dos maiores pensadores da atualidade é o antropólogo brasileiro Eduardo Viveiros de Castro, com suas ideias de “perspectivismo ameríndio”. Ao mesmo tempo, os escritores Ailton Krenak e Davi Kopenawa se tornaram vozes extremamente relevantes do debate brasileiro e, também, global.

Precisamos falar sobre o cinema de mexicanos, argentinos e brasileiros

Precisamos falar sobre o cinema de mexicanos, argentinos e brasileiros

Os brasileiros criaram ao longo de décadas uma série de imagens distorcidas a respeito dos vizinhos hispânicos e de si mesmos. Os mal-entendidos aparecem na política, no esporte e, também, no debate cultural. Se uma história qualquer no cinema ou na televisão é ruim, a conclusão é que se trata de uma “novela mexicana”. Os argentinos são vistos como padrão de excelência por conta de meia dúzia de filmes. Na mesma área, a fama do Brasil é a pior possível, pois seríamos inaptos e ruins de nascença para contar histórias cinematográficas.