20 mil gravações históricas que contam a história do folk e do blues

20 mil gravações históricas que contam a história do folk e do blues

Alan Lomax nasceu em 1915 e foi um folclorista, musicólogo, pesquisador e arquivista norte-americano. O site “The Lomax Digital” (LDA) reúne cerca de 20 mil gravações feitas pelo artista entre as décadas de 1940 e 1990. Além de apresentações musicais ao redor do mundo, também estão disponíveis piadas, sermões, histórias pessoais, fotografias e entrevistas conduzidas pelo folclorista e seus amigos.

A partir da década de 1930, Alan Lomax viajou pelos Estados Unidos pesquisando e gravando cantores que não chegavam às rádios, com a missão de preservar a herança musical do país. Lomax trouxe blues, flamenco e baladas sulistas para Nova York, gêneros que eram relativamente desconhecidos até então.

“O ponto principal da minha atividade”, desse ele uma vez, “era colocar a tecnologia do som à disposição, para levar canais de comunicação para todos os tipos de artistas e regiões”. Lomax cunhou o termo “equidade cultural” para descrever seu trabalho, uma forma de proteger culturas musicais deixadas de lado pela comercialização.

De suas primeiras gravações em campo, em 1933, até a obra “Land Where The Blues Began” (1993), que ganhou o Prêmio Nacional de Críticos de Livros, ele se manteve fiel a sua missão. Se não fosse pelo trabalho de Lomax, mestres do blues como Muddy Waters e Lead Belly teriam morrido sem divulgação de sua música.

Mas, ainda que muitos artistas gravados por Lomax tenham se tornado famosos, ele não estava interessado em simplesmente descobrir estrelas. Em uma carreira que o levou de prisões e barcos de pescadores a estúdios de televisão, ele se esforçou para proteger as tradições folclóricas contra as padronizações da indústria musical moderna. Interessado por outras culturas, Lomax expandiu seu trabalho para além dos Estados Unidos e realizou pesquisas em outros países da América Latina, Europa e Ásia.

No dia 19 de julho de 2002, Alan Lomax morreu, aos 87 anos. Para mergulhar nos arquivos do folclorista, você pode pesquisar a coleção por artista, data, gênero, país e outras categorias, ou clicar em “Sound Colections Guide” para facilitar a navegação. Cada arquivo é acompanhado de um texto com informações e histórias sobre a gravação. O acesso é gratuito.

O LDA também contém grandes coleções de áudios que o pai de Alan Lomax, John A. Lomax, gravou, sozinho ou em parceria com o filho.  Essas obras foram disponibilizadas em parceria com o Arquivo de Canções Folclóricas da Biblioteca do Congresso e com a LC American Folklife Center. Segundo o site, à medida que mais recursos forem liberados para digitalizar e catalogar outras coleções, elas serão disponibilizadas.

Ao clicar em “Exhibits”, é possível conferir a exposição online “Troube Won Don’t Last Always”, uma série de canções diárias lançada em 2020, devido à pandemia, apresentando gravações das coleções que Lomax que abordavam temas como solidão, isolamento, otimismo e resistência. A curadoria foi de Nathan Salsburg.

Clique aqui para acessar: De Muddy Waters a Lead Belly: 20 mil gravações que contam a história do folk e do blues