Nossa pior tragédia não é morrer, mas viver sem esperança

Nossa pior tragédia não é morrer, mas viver sem esperança

Às vezes, quando a noite esfria de repente, é como se uma cortina de nuvens cinzentas encobrisse a minha mente. Faz frio lá fora e aqui dentro. É o mesmo frio que me traz à lembrança outro dia distante. Eu andava por aí, observando as cores e descobrindo a novidade. Era uma cidade nova, de ares nunca antes aspirados por mim. Via com sincera alegria as maneiras e os costumes, sentia curiosidade e ansiedade. A vida é curta! Aproveite o agora! Levava comigo tantos lemas e mal sabia o que me esperava.

9044
Seja sua própria âncora. Se não te faz bem, cai fora

Seja sua própria âncora. Se não te faz bem, cai fora

O tempo não para. A vida não pausa. Dizem que o que é nosso está guardado, mas os donos da mesma retórica dizem, também, que milagres não caem do céu. Então, por via das dúvidas, entre ir ou ficar, eu decido partir. Prefiro pecar por excesso a errar por falta, e fazer a parte que me compete com a pressa dos que correm atrás da própria felicidade. Fujo da vida ao mesmo tempo em que me apresso para viver.

2388
Se eu fosse Deus arrancaria as costelas de Adão e faria um churrasco só para mulheres

Se eu fosse Deus arrancaria as costelas de Adão e faria um churrasco só para mulheres

“O que você faria se fosse Deus por um dia?” Juro. Escreveram essa pergunta dentro do banheiro de um bar. Balancei, abri as pernas feito um compasso, inclinei-me para frente, firmei o corpo mantendo as mãos espalmadas contra a parede fria, tentando buscar equilíbrio — sempre me considerei um homem excessivamente equilibrado e isso me irritava pra cacete. Enquanto urinava, eis as respostas que li no azulejo ensebado daquela latrina.

1581
A última entrevista de Graciliano Ramos

A última entrevista de Graciliano Ramos

De quem o romancista teria herdado, então, o gosto pela literatura? Talvez do avô paterno, cujo retrato desbotado costumava admirar no álbum que se guardava no baú, e de quem admite que tenha recebido em legado “a vocação absurda para as coisas inúteis”. De sua mãe, o espírito infantil recolheu esta impressão: “Uma senhora enfezada, agressiva, ranzinza, sempre a mexer-se, várias bossas na cabeça mal protegida por um cabelinho ralo, boca má, olhos maus que em momentos de cólera se inflamavam com um brilho de loucura”, ente difícil que na harmonia conjugal “se amaciava, arredondava as arestas, afrouxava os dedos que batiam no cocuruto, dobrados, e tinham a dureza de martelos”.

3807
Agora você entende por que Peter Pan não queria crescer?

Agora você entende por que Peter Pan não queria crescer?

O lado lúdico nos permite amolecer as tijoladas da rotina, mas também ressurge para abrandar o desespero, as crises existenciais, emergenciais e todas as assombrações inventadas por nós. Enquanto esse lado sobreviver, estaremos mais ou menos protegidos por alguma alegria colorida. Seguros por uma insistência infantil que regula a vida, ao passo que nos regride alguns momentos, para que justamente possamos avançar.

2235
‘Muita gente falando de amor e pouca gente sabendo amar’

‘Muita gente falando de amor e pouca gente sabendo amar’

Será mesmo que porta-retratos eternizam famílias felizes? A resposta é não. Claro que não! Momentos não são definidos por imagens, fotografias. Imagens captam, sim, nossos semblantes, porém nossa alma jamais. Hoje, infelizmente, há uma inversão de valores. Preferimos dar amor às imagens, preferimos curtidas (a cada foto que postamos) a um abraço verdadeiro ou um momento a sós com as pessoas reais que vivem em nosso lar, em nossa realidade.

10674
‘Falta amor no mundo, mas também falta interpretação de texto’

‘Falta amor no mundo, mas também falta interpretação de texto’

Que me perdoem os analistas de funções, tabelas, números complexos e logaritmos, mas desenvolvi uma teoria baseada em nada além do que meus próprios olhos e ouvidos vêm testemunhando há tempos: considerável parte do desamor que paira hoje no mundo se deve à incapacidade de interpretação de texto. Sim, senhores. A incompreensão da Língua tem deixado as línguas (e os dedos frenéticos que navegam pelos teclados) mais intolerantes, emburrecidos e inacreditavelmente loucos.

10257