Sartre: o messias da filosofia

Sartre: o messias da filosofia

Texto acre e violento é o ensaio “Jean-Paul Sartre: Uma bolinha feita de pelo e tinta”, de Paul Johnson. Poucas vezes alguém escreveu algo tão virulento contra um filósofo do nível de Sartre. Mas não é uma virulência gratuita. Com certeza, o que diz Johnson, no seu polêmico “Os Intelectuais” (os intelectuais deviam ler Johnson, não para concordar, e sim para verificar uma opinião divergente, nem sempre precisa e justa. Muitos de seus ídolos são simplesmente demolidos, sem dó nem piedade), não deve ser mentira. O historiador e jornalista confronta o próprio Sartre e outros autores. As ideias de Johnson não são as minhas (quase sempre concordo com seus petardos). Como resenhista — e não crítico —, reservo-me o direito de não opinar, ou de opinar raramente. Vamos lá. Trata-se de mais um “edifício” a ser demolido. Por Johnson.

2282
Os 30 mandamentos do escritor

Os 30 mandamentos do escritor

Os chamados mandamentos literários existem desde o surgimento da escrita. Aristóteles e Shakespeare foram pródigos em ensinar, por meio de conselhos, como se tornar um grande escritor. Gustave Flaubert, James Joyce, Henry Miller e Anaïs Nin também deixaram suas versões. Compilamos uma seleção de conselhos literários (ou mandamentos literários) de nove nomes fundamentais da literatura mundial dos últimos 150 anos: Machado de Assis, Marcel Proust, Gustave Flaubert, Henry Miller, Friedrich Nietzsche, Ernest Hemingway, Juan Carlos Onetti, Gabriel García Márquez e Jorge Luis Borges.

4115
400 livros acadêmicos para download

400 livros acadêmicos para download

Liderado pelas Editoras da Fundação Oswaldo Cruz, o projeto SciELO Livros disponibiliza aproximadamente 400 livros, científicos e técnicos, para download. O projeto visa à publicação on-line de coleções de livros de caráter científico, editados, prioritariamente, por instituições acadêmicas. Os livros, que estão disponíveis nos formatos ePUB e PDF, são formatados de acordo com padrões internacionais e podem ser lidos no próprio site ou baixados integralmente sem nenhum custo.

14661
Quem tem medo de Simone de Beauvoir?

Quem tem medo de Simone de Beauvoir?

Se todos somos iguais por natureza (Hobbes), o que nos diferencia é a forma que tomamos no seio da sociedade (Beauvoir). Não há justificativa para, nessa diferenciação, haver privilégios para uns e preconceitos para outros (sim, é claro que isso vale para outras coisas, como cor de pele, por exemplo). “Ser mulher” hoje, ainda significa, a despeito do movimento feminista datar do século passado, “valer menos”. Cujas consequências são receber menor remuneração executando o mesmo trabalho, ser vista como objeto de uso livre, incluindo aí uso de violência no caso do “objeto” se rebelar, ser preterida em promoções e cargos de chefia.

1112
Tá chateado por quê? Quem criou expectativas foi você!

Tá chateado por quê? Quem criou expectativas foi você!

Um dos caminhos mais eficazes para alcançar a frustração certamente se chama expectativa. Esperar que o novo trabalho seja o melhor do mundo, todos os amigos se lembrem de nosso aniversário, a família nos aplauda e esteja presente em cada momento e, a pior de todas, a pessoa com quem você se relaciona seja qualquer coisa que não ela mesma… Tanta esperança é um passe livre para uma conhecida e complicada fase de frustração, inconformismo e sofrimento pós-decepção.

21644
A difícil, dolorosa e fantástica arte de morar sozinho

A difícil, dolorosa e fantástica arte de morar sozinho

No início, você descobre a parte boa de não ter que dividir o mesmo teto com alguém. Anda pelado à vontade pela casa, deixa a cama desarrumada e acorda a hora que quiser. Descobre como é bom não ter ninguém te amolando porque você deixou a toalha molhada na cama, porque só comeu fast-food ou tomou muita cerveja. Acontece que sempre chega aquele momento em você se perde dentro do seu próprio apartamento.

54243