Autor: Élida Ramirez

Confesse: ser mãe, às vezes, é muito chato!

Confesse: ser mãe, às vezes, é muito chato!

Sou mãe. Encontro respostas sem saber de onde tiro. Luto com todas as garras para que minha filha vença suas primeiras batalhas. Não há cansaço maior que a necessidade do meu bebê. É impressionante como um ser, ainda miúdo, desperta uma gama de habilidades inéditas em nós. Um lado bicho que acorda durante a geração da cria. E, de tão potente, pode provocar também o (re) nascimento da mãe.

Viver em cima do muro é prejudicial à saúde

Viver em cima do muro é prejudicial à saúde

Nota-se certo padrão do viver em cima do muro. Como uma receitinha básica. Vejam só: Misture meias palavras em um discurso politicamente correto. Inclua, com ar de respeito, a posição contrária. Cozinhe em banho-maria. Deixe descansar, para sempre, se puder. Se necessário, volte ao fogo brando. Não mexa mais. Sirva morno. Viu? Simples de fazer. Difícil é digerir.