Autor: Karen Curi

Os filhos são do mundo, mas nunca deixarão de ser o mundo das mães

Os filhos são do mundo, mas nunca deixarão de ser o mundo das mães

Mãe vive chorando. E como chora. Chora desde a descoberta de que ama a sua cria mais que a si mesma. Ama com uma intensidade e honestidade que jamais pensara amar alguém, assim, um dia. Ama antes de conhecer o seu filhote e ama ainda mais quando o tem em seus braços. Segura no colo um pedacinho dela, a criatura mais linda que seus olhos já viram. Tão dependente do seu amor e de seus cuidados… Indefeso, frágil, miúdo. E o mais incrível: seu.

Por que as mulheres querem amar se elas podem ser felizes?

Por que as mulheres querem amar se elas podem ser felizes?

Encaixar na mesma frequência e encontrar o entrosamento é mais difícil que apaixonar-se. Porque paixão distorce os sentidos, cega as imperfeições e faz pulsar qualidades que nós atribuímos ao outro, mas que não necessariamente o pertencem. Enfim, paixão e amor são prospecções nossas, enquanto a afinidade simplesmente existe por si só. Existe e é sentida nos dois lados.

Era uma vez a menina que não era bela nem recatada e muito menos do lar

Era uma vez a menina que não era bela nem recatada e muito menos do lar

Já passamos dos trinta, estamos beirando os 40, se a gente ficar uma semana sem treinar a calça não fecha. Temos manchas de sol, rugas em volta dos olhos, celulite, estrias. Fazemos sexo no primeiro encontro, saímos para beber sem hora pra voltar. Trabalhamos feito burro de carga: em casa, no escritório, fins de semana e feriados. Gente, nós somos a antítese desse tipo de mulher. Eu, confesso aqui, tenho até uma ponta de inveja.

O casamento é um jogo de 7 erros

O casamento é um jogo de 7 erros

Essa vida é uma ciranda, uma grande brincadeira, ora de mau gosto, ora de bom grado. Uma cruzadinha de direitos e deveres, um caça palavras de sentimentos, a pescaria de escolhas onde a recompensa nem sempre é um grande urso de pelúcia cor-de-rosa. Tem vezes que a roda da vida mais parece uma roleta-russa. De nada adianta torcer para que a bala não seja o prêmio da vez.

Que me perdoem os solitários, mas é impossível ser feliz sozinho

Que me perdoem os solitários, mas é impossível ser feliz sozinho

É impossível ser feliz sozinho… Já dizia Tom Jobim. Ninguém passa por essa vida sem um amigo, sem alguém para dividir momentos, o peso dos fardos e a leveza dos sorrisos. Você já reparou? Nenhuma história se faz com apenas um personagem. Eu li certa vez sobre uma pesquisa que apontava pessoas solitárias como as mais inteligentes. Que sejam. Eu sei que felicidade é uma virtude para todos, e que só é possível alcançá-la quando nos seguramos em outras mãos.

O coração deveria ter a opção de excluir histórico

O coração deveria ter a opção de excluir histórico

É melhor deixar pra lá. Alguém vai resolver o problema. Se for para um dos dois tomar uma decisão, que seja o outro, que ele assuma a autoria e carregue o peso de escolher por nós. Enquanto isso, fico aqui esperando que ele decida o que será da minha vida: ele que ponha um fim na nossa história, que saia de casa, que mude de emprego, de cidade, de país. E me outorgue o deleite do meu papel de coitada, minúscula diante dele, incapacitada de tomar qualquer atitude. Porque não quero assumir nenhum risco. Inclusive o risco de estar viva.

O mundo secreto e fantástico das mulheres

O mundo secreto e fantástico das mulheres

Você não faz ideia, mas super-heroínas existem e estão por toda parte. Nos subúrbios e nos bairros de luxo, na fila do supermercado, no balanço do trem, em consultórios, avenidas, feiras, praças, bancos, restaurantes. Disfarçadas de cotidiano, se escondem debaixo de uma figura delicada incapaz de levantar a menor suspeita sobre a força que possui. Feitas de carne, osso e poderes sobre-humanos, elas são mais potentes que qualquer bomba atômica, dinamite, meteoro e explosão nuclear. São destemidas, incansáveis, defensoras, protetoras. Saiba um pouco sobre essas fantásticas criaturas super poderosas, mas conhecidas como: mulheres.

‘O amor é sexualmente transmissível’

‘O amor é sexualmente transmissível’

Parece que o mundo vai acabar. Eu te consumo, te quero com urgência. Tenho pressa em me satisfazer, prontidão em saciar a fome de um tipo veloz de amor, de sexo, de companhia. Eu te uso e você me usa pelos mesmos motivos. Precisamos um do outro para que nos fartemos desse algo possante e magnético que somos nós dois juntos. Tragamos o cigarro da nossa relação acessível, disponível, lasciva e despretensiosa. Nos servimos sem o menor pudor e o mínimo sinal de constrangimento. A premência de viver até a última gota estimula o tesão pela vida em si e pela fugacidade do prazer do instante.