Autor: Karen Curi

Não me espere para o jantar. Fui gostar de quem gosta de mim e não volto tão cedo!

Não me espere para o jantar. Fui gostar de quem gosta de mim e não volto tão cedo!

Dei o fora de repente. Sem aviso prévio, sem fazer as malas. Saí como quem vai comprar cigarro e não volta mais. Tantas vezes a gente avisa que vai embora, ameaça, faz chantagem, mas por medo da solidão não consegue ir. Falta coragem. Prorrogamos a dor da despedida e a agonia que nos assalta só de pensar na abstinência do outro. Aceitamos menos amor, menos atenção, menos carinho, menos tesão, menos cuidado. A gente aceita ser menos, ou quase nada. Até que uma hora a gente cansa. E bate a porta sem dar uma palavra.

Aos 20 você sabe de tudo. Aos 30, começa a ter dúvidas. Aos 40 você quer voltar a ter 20

Aos 20 você sabe de tudo. Aos 30, começa a ter dúvidas. Aos 40 você quer voltar a ter 20

Há muitas razões para alguém, beirando os 40, querer mudar o curso do barco. Nessa fase da vida se supõe estar no meio da travessia, por isso a incerteza do rumo, do vento, do destino, da companhia a bordo. “Metade do caminho. Quantas coisas já deixei pelas margens do meu caminho. Coisas inteiras e pela metade. Ou quantas metades já teve o meu caminho. Ou quantos caminhos percorri de metade em metade.” Carlos Trigueiro, em “Memórias da Liberdade”, fez o que o homem ocidental faz quando chega no meio do destino. Pôs na balança a própria vida.

Não me venha com emoticons. Eu quero mais toque e menos touch!

Não me venha com emoticons. Eu quero mais toque e menos touch!

Você manda um currículo e não é chamado porque não tem todas as especificações que a vaga pede, porque não sabe todos os programas, não tem todos os cursos nem todas as formações acadêmicas. Também não fala todos os idiomas. É, meu amigo… Não adianta ser bom no que você faz. Isso não é o bastante para conseguir um emprego nos dias de hoje. Você precisa ser, praticamente, uma mistura de MacGyver com James Bond.

Troco uma dúzia de amantes por um único amor

Troco uma dúzia de amantes por um único amor

Quem já não sonhou em ter alguém que realizasse todos os seus prazeres? Imagino como seria ter um escravo de amor que obedecesse às leis de um romance inventado por mim, que comigo protagonizasse as mais incríveis cenas profanas, que não me castrasse os impulsos nem me regulasse a libido. Um devoto a mim e à minha maneira de ser e querer do meu jeito, mesmo quando eu não quisesse ser nada, senão eu mesma e a minha mesmice.

De que adianta ‘beijar na boca e ser feliz’ quando não se é feliz beijando por beijar?

De que adianta ‘beijar na boca e ser feliz’ quando não se é feliz beijando por beijar?

Que atire a primeira pedra quem não quer amar. O problema é que o amor está longe da vista, tão distante que parece estar em outro continente. Eu corro atrás dele, descalça, até que começo a desistir de percorrer o caminho. Me canso. Entro naquela fase em que abro mão de ser feliz se tiver sossego. Sento na calçada, peço um tempo, um gole d’água, estico as pernas. Chego à conclusão de que o amor é vizinho dos outros e estrangeiro de mim. Alguém me faz uma oferta. E eu troco a minha felicidade a dois por um pouco de paz. Negócio fechado

Um bom livro e um bom vinho são melhores do que muita gente

Um bom livro e um bom vinho são melhores do que muita gente

Hoje eu sei que não preciso mais me agarrar à adrenalina para me sentir viva. Ler um livro, assistir a um filme, encontrar um amigo me fazem melhor do que voar de asa delta, por exemplo. Chega uma época em que não precisamos mais de autoafirmação. Nós nos conhecemos tão bem que já não fazemos a menor questão e o mínimo esforço para agradar aos outros. Não temos mais a necessidade de nos sentir aceitas, da mesma forma que também não aceitamos qualquer um e qualquer programa.

O Ministério da Saúde adverte: alguns beijos viciam e causam total dependência

O Ministério da Saúde adverte: alguns beijos viciam e causam total dependência

Tem gente que é impossível esquecer, porque tem o cheiro que nenhum perfume, jamais, vai conseguir reproduzir. A gente pode viajar, conhecer pessoas, mas ninguém será bom o bastante para apagar da memória olfativa aquele aroma febril. Gente que abraça e se funde como alquimia, que tem química, física, história, geografia e até mesmo matemática. Gente que combina mais que goiabada com queijo, arroz com feijão e café com leite.

Amor nenhum cabe em gaiola Gaiola

Amor nenhum cabe em gaiola

Meu pai sempre dizia que, para conhecer com quem vamos nos casar, é preciso primeiro separar. Isso mesmo. “A gente só conhece o outro depois que se separa, minha filha.” É… A separação deveria ser o pretérito imperfeito do matrimônio. Meu pai não tinha diploma, não falava outras línguas, não era culto. Mas ele possuía algo para o qual, naquele tempo, eu não dava a menor importância. Meu pai era um homem experiente. E experiência supera, até mesmo, a sabedoria.

Somos as palavras que trocamos, os erros que cometemos e os impulsos que cedemos

Somos as palavras que trocamos, os erros que cometemos e os impulsos que cedemos

Somos o que restou do que um dia fomos. Somos o pó de uma infância feliz e a nuvem fazendo pairar incertezas sobre uma velhice digna. Somos o mundo de alguém e o nada para o mundo inteiro. Somos a promessa de evolução, assim, sem pressa, caminhando numa procissão sem rumo, com a fé de que lá na frente seremos um tantinho melhores. Nunca estivemos tão perdidos nessa romaria chamada Vida. Procuramos caminhos e saídas através dos pés dos outros, escutando vozes paralelas à nossa, seguindo andarilhos igualmente perdidos. Nos preocupamos em saber para onde ir, quando nem sabemos quem realmente somos.

100 razões pelas quais as mulheres broxam!

100 razões pelas quais as mulheres broxam!

Mulher broxa com o narciso, que só funciona diante do espelho. Mulher broxa com homem que conversa olhando para os próprios músculos. Mulher broxa com homem sensível demais, carinhoso demais, pegajoso demais. Mulher broxa com homem bronco demais, bruto demais, selvagem demais. Mulher broxa com homem fofo, que fala no diminutivo, com voz de bebê. Mulher broxa quando ele xinga e quando ele não xinga. Mulher broxa com homem que lhe falta ao respeito. Mulher broxa com homem calado e com homem que não para de falar. Mulher broxa com os depressivos, os dependentes e os carentes. Mulher broxa com erros de português. Mulher broxa com aqueles que só falam da ex.