Listas

41 perfis do Instagram para apreciadores de arte

41 perfis do Instagram para apreciadores de arte

As redes sociais podem ser, ao mesmo tempo, um vasto mar de inutilidades e perda de tempo ou um oceano de conhecimento e conteúdos relevantes. Dependerá, sobretudo, daquilo o expectador busca. O Instagram talvez seja uma boa síntese dessa ideia. De fotos de pessoas em trajes sumários a frases motivacionais, de gatinhos e cãezinhos fofinhos a notícias cotidianas, de artistas profissionais e amadores às maiores galerias de arte do mundo. Essa é uma das flexibilidades da rede de imagens.

1279
21 páginas do Facebook que todo amante do cinema precisa conhecer

21 páginas do Facebook que todo amante do cinema precisa conhecer

Desde as primeiras imagens móveis, criadas pelos irmãos Lumière, o cinema se estabeleceu como a arte do fascínio, da doce ilusão, e também como a arte das possibilidades, do impossível, do improvável. Desde então ele é considerado, com muita justiça, a sétima arte. E são muitos os que a ela se dedicam com devoção ou são ávidos contempladores das obras que eclodem do seu centro. Para esses aficionados, a Revista Bula selecionou 21 páginas relacionadas ao cinema, que todo cinéfilo precisa conhecer.

3677
10 cervejas nacionais para experimentar antes de morrer

10 cervejas nacionais para experimentar antes de morrer

Há quem diga que é moda, há quem diga que elas vieram para ficar. A verdade é que o mercado de cervejas artesanais no Brasil cresceu muito, no contra–fluxo de uma crise econômica e política que se instaurou no país. Um reflexo de que as pessoas estão procurando mais qualidade, quando se trata de um produto que é uma paixão nacional. O Brasil é o terceiro maior mercado de cervejas do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da China. O mercado artesanal, mesmo em franco crescimento, ainda possui uma fatia de apenas 1% do mercado brasileiro.

8123
As 50 palavras mais belas da literatura em língua portuguesa

As 50 palavras mais belas da literatura em língua portuguesa

Pedimos ao colaborador da Revista Bula, Marcelo Franco, um dos maiores especialistas em livros no Brasil, que apontasse as 50 palavras mais belas da literatura em língua portuguesa. Marcelo Franco enumerou 100 palavras, destas, selecionamos 50. Obviamente que listas são sempre incompletas, idiossincráticas. Sabe-se que, como a percepção, a opinião — que é a base da maioria as listas —, é algo individual. O resultado não pretende ser abrangente ou definitivo e corresponde apenas à opinião do especialista e dos editores da Revista Bula, que fizeram a seleção a partir da lista inicial sugerida.

2122
As 10 obras de arte mais importantes de todos os tempos

As 10 obras de arte mais importantes de todos os tempos

Todos nós somos leigos num assunto até entendê-lo, e uma lista dessas ajuda a compreender um pouco mais o universo da arte. Não tenho a ilusão de encontrar um consenso, apesar de adotar um critério razoável. O mais “importante” nem sempre é o mais “famoso”, muito menos o mais “bonito”. “Importante” é sinônimo de originalidade; uma obra capaz de influenciar gerações e até mesmo mudar os rumos da história. Estou bastante seguro quanto à metade dessas obras. A outra metade certamente rivaliza com qualquer outra não mencionada.

4782
Os 55 melhores tweets de 2015

Os 55 melhores tweets de 2015

Imagine o seguinte cenário: de todas as redes, você teria que escolher apenas uma, porque todas as outras seriam deletadas para sempre. Qual você escolheria? De pronto já sabemos que a resposta majoritária seria o Twitter. Por que tanta certeza? Simples: porque a rede de 140 caracteres é, de longe, a melhor rede social. De política aos últimos acontecimentos de qualquer programa de televisão, os comentadores do Twitter não deixam escapar nenhum detalhe. Nada passa batido. São milhões de publicações diárias, muitas irrelevantes, outras monumentais. E foram 55 pérolas desse ano que a Revista Bula selecionou.

640
Biografia analisa vida de Rubem Alves, que não era o Paulo Coelho dos intelectuais

Biografia analisa vida de Rubem Alves, que não era o Paulo Coelho dos intelectuais

Seus textos leves, mas com alguma profundidade, encantaram leitores durante anos. Com a internet, tornaram-se textos-citações. Cente­nas, talvez milhares, de pessoas passaram a mencioná-los como se contivessem lições fundamentais sobre a vida. Visto às vezes como um Paulo Coelho intelectualizado, Rubem Alves era bem mais do que isto — era um filósofo que escrevia com clareza e buscava, como os gregos, interferir na vida cotidiana de seus pares, menos com o objetivo de ser uma espécie de guia espiritual e mais como um veículo de iluminação e indicativo de que caminhos diferentes (humanistas e cordiais) são possíveis.