Autor: Solemar Oliveira

O vocabulário cínico de Ambrose Bierce

O vocabulário cínico de Ambrose Bierce

Um fato curioso sobre o cinismo é que o seu mais ilustre representante é, possivelmente, Ambrose Bierce, graças ao seu “Dicionário do Diabo”, ou “Vocabulário do Cínico”. É um caso hilário que o nome original, que fazia apologia ao demônio, coisa censurada pela religião, tenha sido substituído por esse título com grande força literária e, virtualmente, acadêmica.

10 textos sobre vinhos de 10 grandes autores da literatura mundial

10 textos sobre vinhos de 10 grandes autores da literatura mundial

Um bom livro, assim como um bom vinho não pode ser relativizado, e os dois fornecem experiências igualmente fantásticas, limitadas apenas pelos sentidos específicos relacionados as suas afinidades. Com a diferença de que um livro leva uma pequena vantagem em relação ao vinho. Um bom livro pode ser lido mais de uma vez, enquanto um bom vinho parece ser uma experiência única.

10 livros sul-americanos para ler em um dia

10 livros sul-americanos para ler em um dia

Desafios intimistas, caracterizados por propostas feitas para superar limites pessoais, tais como esportes radicais, dentre eles, rafting, escalada, rapel, voo livre, paraquedismo, skate, só para citar diferentes modalidades, são motivos para novos encontros íntimos, de descoberta de capacidades por nós desconhecidas. É bom para quem gosta! Nem todo mundo deseja se aventurar em desafios extremos e perigosos. Existem outros ambientes — mais seguros e essencialmente distintos — que, também, promovem sensações tão estimulantes e intensas.

O jardim das finitudes

O jardim das finitudes

Morres em mim, agora, como outros, também, morreram antes, sem sentido. Deixas apenas essa fragrância inútil de gelo que, daqui a pouco, jaz. Mas, antes, era com rosas que sonhavas. Prefiro aqueles dias. Eu fotografava as flores que encontrava, distante. Para enxergar em suas cores, somente as que, com teus olhos simples, mais combinavam.

Camus segundo Enrique Vila-Matas

Camus segundo Enrique Vila-Matas

Enrique Vila-Matas é um premiado escritor Espanhol, nascido em 1948 em Barcelona. Ele viveu autoexilado em Paris onde amadureceu sua prosa e é um dos mais cultuados escritores contemporâneos. Herdeiro da literatura Borgiana, apresenta em seu trabalho forte presença de intertextualidade e metalinguagem. Sua ficção é um misto complexo de histórias puramente inventadas com constantes citações de obras literárias, artes em geral, música (compositores e intérpretes), grandes cânones.