Os 10 Mandamentos de Bertrand Russell para uma democracia sadia

Os 10 Mandamentos de Bertrand Russell para uma democracia sadia

Em 1951, Bertrand Russell publicou um artigo na revista “The New York Times Magazine”: “Liberalismo — A Melhor Resposta ao Fanatismo”, com o subtítulo “Sua tranquila busca pela verdade, vista como perigosa em muitos lugares, permanece sendo a esperança da humanidade”. No artigo, Russel escreve que “O liberalismo é mais uma disposição que uma crença. Ele é, na verdade, o oposto de qualquer crença”. Ele continua: “Mas a atitude liberal não diz que você deve se opor à autoridade. Ela só diz que você deveria ser livre para se opor à autoridade, o que é bem diferente. A essência da visão liberal sobre a esfera intelectual é a convicção de que a discussão imparcial é uma coisa útil, e que as pessoas devem ser livres para questionar qualquer coisa, desde que possam apoiar seus questionamentos com argumentos sólidos. A visão oposta, mantida por aqueles que não podem ser chamados liberais, é de que a verdade já é sabida, e que questioná-la é necessariamente subversivo”.Russell conclui seu artigo na revista oferecendo um “novo decálogo”, com conselhos sobre como viver a vida no espírito do liberalismo. “Os Dez Mandamentos que eu, como professor, gostaria de promulgar, poderiam ser assim dispostos”, diz.