Philip Roth, 80 anos

Philip Roth completa 80 anos nesta terça-feira (19 de março) e, neste mês, o escritor norte-americano é tema de exposições, publicações especiais e eventos, além de um documentário da PBS de título “Unmasked”. Nada disso, porém, parece revelar verdadeiramente esse autor que sempre se coloca de forma tímida e avessa aos holofotes. De tudo o que se diz a seu respeito, um de seus depoimentos reunidos no documentário é o mais significativo, porque se opõe a uma definição que tanto estigmatiza o escritor: “Eu não adoro me ver descrito como um escritor judeu-americano. Eu não escrevo em judaico. Eu escrevo em americano”.

Indignação, de Philip Roth

Em “Indignação”, Philip Roth cria um universo surpreendente para tratar de dois assuntos polêmicos, bastante conhecidos da geração de meados do século passado, nos Estados Unidos: a Guerra da Coreia e a tensão sexual entre jovens e adultos

John Casti, matemático e fundador do X-Center, em Viena, estuda eventos extremos. Em livro re­centemente traduzido no Brasil, “O Colapso de Tudo”, o cientista numera sete princípios da complexidade, entre eles o chamado Efeito Borboleta: “A ideia básica é que os sistemas complexos são patologicamente sensíveis a mudanças minúsculas em seu estado inicial”.