Os melhores contistas da história da literatura brasileira

Os melhores contistas da história da literatura brasileira

A Revista Bula realizou, entre os meses de março e outubro de 2019, uma enquete com o objetivo de descobrir quais são, segundo os leitores, os melhores contistas da história da literatura brasileira. A consulta foi feita a colaboradores, assinantes — a partir da newsletter — e seguidores da página da revista no Facebook. Quatro mil e trezentos participantes, de 26 Estados e do Distrito Federal, responderam à enquete. Foram considerados apenas autores nascidos no Brasil ou naturalizados, como é o caso de Clarice Lispector. O critério de desempate, quando necessário, foi o número de contos incluídos no livro “Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século”, de Ítalo Moriconi, publicado em 2000. Os autores foram divididos em cinco categorias, de acordo com o número de indicações: +150, +100, +80, +50 e +30.

Foram citados escritores das regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste. Minas Gerais foi o estado com o maior número de escritores mencionados, com cinco indicações, seguido do Rio de Janeiro e São Paulo, com quatro indicados cada. A região Sul também teve quatro autores indicados. Entre os escritores selecionados, 13 não estão vivos: Murilo Rubião, Machado de Assis, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, José J. Veiga, Rubem Braga, Fernando Sabino, Lima Barreto, Caio Fernando Abreu, Antônio Carlos Viana, Orígenes Lessa, Moacyr Scliar e Monteiro Lobato. Com relação à idade, o mais jovem é o gaúcho Amilcar Bettega Barbosa, que nasceu em 1964, e o mais velho é o carioca Machado de Assis, nascido em 1839.

Autores que obtiveram mais de 150 indicações

Autores que obtiveram mais de 100 indicações

Autores que obtiveram mais de 80 indicações

Autores que obtiveram mais de 50 indicações

Autores que obtiveram mais de 30 indicações