Autor: Rebeca Bedone

Carregue somente o que for necessário. Viver é fazer escolhas

Carregue somente o que for necessário. Viver é fazer escolhas

Não há nada pior do que a falta de inspiração para quem gosta de escrever. Entregue à possibilidade de que nenhuma ideia sairia daqui de dentro, desencanei da crônica que precisava fazer. Horas mais tarde, fui tomar um picolé. Sentada à mesa da padaria, saboreei minha pequena felicidade e ainda ganhei de presente uma frase que veio escrita no palito de madeira: “Se o mundo pode te mudar, você também pode mudar o mundo”.

Se não fosse a esperança, já estaríamos todos mortos

Se não fosse a esperança, já estaríamos todos mortos

Em tempos de pessimismo, podemos passar pela vida entregues às cores sem brilhos e às manhãs cinzentas. Podemos erguer muros ao redor de nós mesmos para fugir da verdade. Ou podemos nos afogar em poesia, como eu mergulhei em Drummond, Manoel de Barros, Mario Quintana, Manuel Bandeira, Ferreira Gullar e Fernando Pessoa.

Viver é saber aproveitar a viagem

Viver é saber aproveitar a viagem

Pessoas diferentes, que nunca haviam se visto na vida, de repente ficaram encurraladas pelo mesmo destino: a imprevisibilidade. De dentro da minha própria angústia, fiquei observando o comportamento humano e sua vulnerabilidade perante contratempos.

Viver é tentar ser feliz

Viver é tentar ser feliz

Eis o mistério da vida: viver é tentar ser feliz. Nessa persistente tentativa (a constante travessia de nós mesmos, como nos contou Sidarta, de Hermann Hesse) aprendemos a aceitar o que não podemos mudar; mas, também, entendemos que, apesar das intempéries da existência, é possível fazer mais e melhor — mesmo quando tudo parecer perdido e sem esperança: “os milagres sempre acontecem na vida de cada um e na vida de todos.

Tenho saudade da época em que devolver o troco errado era normal

Tenho saudade da época em que devolver o troco errado era normal

Certa vez, li uma citação do filósofo e escritor Mario Sergio Cortella que diz: “Falar sobre ética não é falar sobre alguém. É falar sobre nós”. Por isso, é preciso prestar mais atenção aos exemplos que estamos passando aos nossos filhos, amigos e até desconhecidos. Caso contrário, nos perderemos na sensação de que a falta de ética é normal.