Autor: Fernando Pacéli Siqueira

11 canções essenciais de Vinicius de Moraes

11 canções essenciais de Vinicius de Moraes

Marcus Vinicius da Cruz de Mello Moraes formou-se em direito, foi crítico de cinema, dramaturgo, poeta de rara sensibilidade ao escrever sonetos, músico e diplomata. A seu respeito, João Cabral de Melo Neto, também diplomata de carreira, certa feita afirmou: “Vinicius de Moraes poderia ter sido o maior poeta da língua portuguesa se tivesse levado a poesia a sério e não tivesse se deixado levar pela má influência da música popular”. Mesmo assim, Vinicius de Moraes é o poeta brasileiro mais traduzido para outros idiomas.

A história por trás das canções de Tom Jobim

A história por trás das canções de Tom Jobim

Para comentar o livro “Histórias de Canções: Tom Jobim”, de Luiz Roberto Oliveira e Wagner Homem (Casa da Palavra, 320 páginas) da faz-se necessário um preâmbulo: Tom nasceu pelas mãos do mesmo obstetra que dez anos antes trouxe ao mundo Noel Rosa. Órfão de pai aos oito anos, teve no padrasto seu maior incentivador musical, embora já vivesse em uma família recheada de músicos. Na adolescência, encantou-se com a música e teve como principal companheiro o violão, além do mar e do mato.

11 canções essenciais da música popular brasileira

11 canções essenciais da música popular brasileira

Uma lista com 11 músicas importantes da MPB é algo impossível de se fazer, mesmo porque existem as que são importantes e necessárias, as que são necessárias e não são importantes, as que são importantes e não são necessárias. A música, por si mesma, é fruto da junção da melodia com o ritmo e a harmonia. Já a letra da música tem que ser confeccionada, adaptando-se à estrutura musical, não sendo, portanto, um poema cantado. Dicotomizar a representatividade e o valor do poeta e do letrista é no mínimo um purismo estrutural da língua que uns poucos ainda conservam.

Geraldo Vandré: o homem que disse não

Geraldo Vandré: o homem que disse não

Vandré se auto-intitulava um compositor do amor, seja ele particular por uma mulher, ou geral por todo um povo. A primeira música que compôs sozinho foi “Fica mal com Deus”, que traz em seu âmago seu histórico nordestino, capitaneado pelas redondilhas, que aprendeu ainda criança com o cordel. Conseguiu trilhar uma carreira que não mantivesse ligações com a bossa nova, a qual admirava. Contudo, por ser mais poeta que músico, decidiu-se por escrever sobre a realidade nacional que ora vivenciava e discordava.