Os 100 melhores filmes de todos os tempos, segundo Akira Kurosawa

Os 100 melhores filmes de todos os tempos, segundo Akira Kurosawa

Um livro póstumo, publicado pela filha do cineasta Akira Kurosawa, um dos mais importantes da história do cinema, menciona os 100 filmes favoritos do diretor. Em “Yume wa Tensai de Aru”, “O Sonho é um Gênio”, em tradução livre, Kazuko Kurosawa mencionou a lista, elaborada por ela mesma, e explica como foi o processo de seleção dos filmes que o pai mais gostava. Ela levou em conta produções inesquecíveis sobre as quais conversou com Kurosawa e comentários que o cineasta nunca revelou em público. Além disso, outro critério foi escolher apenas um filme para cada diretor. Apesar dos métodos rígidos de escolha, Kazuko fez um alerta, em entrevista ao Open Culture: “Meu pai sempre disse que os filmes que ele amava eram muitos para caber em um ranking. Isso explica por que muitos filmes que ele considerava maravilhosos não fazem parte seleção”.

A extensa seleção foi organizada em ordem cronológica, e é composta por produções de variados gêneros e épocas. O primeiro filme mencionado é “Lírio Partido” (1919), de D. W. Griffith; seguido de “O Gabinete do Dr. Caligari” (1920), do diretor Robert Wiene; e “Dr. Mabuse: O Jogador” (1922), de Fritz Lang. Entre os filmes mais recentes estão “A Bela Intrigante” (1991), de Jacques Rivette; e “Fogos de Artifício” (1997), de Takeshi Kitano. Um aspecto curioso da seleção são os filmes voltados ao público infantil. Foram citados “A Viagem de Balão” (1960), dirigido por Albert Lamorisse; e a famosa animação “Meu Amigo Totoro” (1988), de Hayao Miyazaki.