Que me perdoem os shakes de proteína, mas churro de doce de leite é fundamental

Que me perdoem os shakes de proteína, mas churro de doce de leite é fundamental

Hoje eu acordei e fiz minha tradicional corrida matinal — em direção à padaria para pegar a primeira leva de pão quentinho. Poderia ser integral com chia e gergelim, mas era daqueles crocantes por fora e fofinhos por dentro que fazem derreter lentamente a manteiga e o coração dos apaixonados pelo prazer que as boas mesas oferecem. Como definir felicidade em uma palavra? Há quem diga endorfina. Eu digo churros.

Correr na praia é bom, mas cheirinho de queijo coalho assando é melhor ainda. Você pode ter uma queda pela pizza vegetariana de ricota, mas é na borda de cheddar que pensa antes de dormir. Pode tentar ser chique, pedir abacaxi com raspas de limão após o almoço e iludir-se ao chamar de sobremesa aquela famigerada fatia. Em algum lugar, porém, existirá alguém honrando a categoria dos doces com bananada e goiabada cascão.

Confesse: você diz que vai ao cinema pelo Almodóvar, mas o objetivo é a pipoca. Fale, sem constrangimento, sobre os pacotes de Doritos guardados atrás dos pacotes de chá verde. A gente se faz de forte, posta foto da esteira e da barra de 5 kg, mas no primeiro e sonoro “batata extra por cinquenta centavos?” balança a cabeça e diz que sim. Que sensação boa a que o spinning me provoca. Mas agradável mesmo é chegar em casa após a festa de criança, abrir a bolsa e ver que os brigadeiros surrupiados estão inteiros.

Já cometi a heresia de colocar adoçante em caipirinha e pedir picanha sem gordura. É que às vezes a gente freia o instinto de mergulhar de cabeça nas orgias gastronômicas e só molha as pontas dos dedos. Bate a crise de consciência e é prudente alternar os pecados capitais. Afinal, faz mais mal o excesso de gula ou de vaidade? No Instagram, foto de comida. No Facebook, o espelho da academia.

Quão politicamente incorreto é defender hambúrgueres e maldizer a rúcula em tempos de sedentarismo e doenças decorrentes da ingestão de besteiras a bel-prazer? Então priorize a saúde. Mexa o corpo. Evite enlatados, conservantes, corantes. Coma alface. E fibras. Beba água. Use filtro solar (ops, essa é outra história). Mas permita-se compensar o suor das aulas de jump com taças de vinho. Não há mal no torresmo de fim de semana. Se sentir algo diferente no peito, os invejosos dirão que é o miocárdio mandando um sinal. Explique que é só alegria.

6927