Entrevistas do além: Marcel Proust entrevista Paulo Francis

Entrevistas do além: Marcel Proust entrevista Paulo Francis

O escritor francês Marcel Proust gostava de jogar uma brincadeira de salão chamada “Confissões”, onde os participantes respondiam perguntas pessoais. Em sua homenagem, hoje o jogo ficou conhecido como “Questionário Proust”.

A Revista Bula, depois de ter adquirido em um concorrido leilão a Tábua Ouija do filme “O Exorcista”, entrou em contato sobrenatural com o próprio Marcel Proust, em carne, osso e ectoplasma, que, relembrando seus tempos de jornalista, assinou contrato exclusivo como nosso correspondente do outro lado da vida.

Em reunião de pauta comandada pelo médium meio médio ligeiro Ademir Luiz decidiu-se que o primeiro entrevistado seria o jornalista e escritor Paulo Francis. Eis um verdadeiro encontro de titãs: o escritor que começou como jornalista entrevista o jornalista que terminou como escritor. Com vocês, na série Entrevistas do Além, o legitimo Questionário Proust com Paulo Francis, psicografado em javanês por Ademir Luiz.

Marcel Proust — Paul, monsieur, fala francês?

Marcel Proust — Que tal morrer justamente no carnaval, a festa máxima de seu país?

Marcel Proust — Encontrou-se com Deus?

Marcel Proust — E Lúcifer?

Marcel Proust — Àquele jovem argentino, Jorge Luis Borges, costumava dizer que tinha como visão de paraíso uma biblioteca. E a sua?

Marcel Proust — E sua visão de inferno?

Marcel Proust — Escapou por pouco. Mas me diga, o brasileiro é o homem cordial?

Marcel Proust — A Amazônia é o pulmão do mundo?

Marcel Proust — Qual sua opinião sobre o cinema brasileiro?

Marcel Proust — O Pasquim existiria na imprensa brasileira atual?

Marcel Proust — E a Petrobras? Àquele rapaz de vastas sobrancelhas dizia “o petróleo é nosso”. Ainda é de vocês?

Marcel Proust — Aprova as performances de seus imitadores?

Marcel Proust — Por que tantos brasileiros são nostálgicos com o Regime Militar?

Marcel Proust — Ainda costuma ouvir Wagner fumando maconha?

Marcel Proust — Assistiu aos jogos da Copa do Brasil em seu camarote celeste?

Marcel Proust — E as Olimpíadas do Rio de Janeiro?

Marcel Proust — Qual sua opinião sobre o presidente Trump?

Marcel Proust — Mas ele pode destruir o mundo se apertar o botão da bomba atômica…

Marcel Proust — O que acha da difusão do ensino superior ocorrida no Brasil nos últimos anos?

Marcel Proust — Gabriel, o Pensador escreveu um rap em que diz “não seja um imbecil / não seja um Paulo Francis / não se importe com a origem ou a cor de seus semelhantes”. O que responderia para ele?

Marcel Proust — O que diria para o escritor Fernando Jorge que escreveu um livro de 500 páginas te acusando de plagiário?

Marcel Proust — O senhor era de esquerda e tornou-se de direita. O senhor é ambidestro?

Marcel Proust — Soube que Bob Dylan ganhou o Prêmio Nobel?

Marcel Proust — Tônia Carrero ou Cacilda Becker?

Marcel Proust — Brizola está por aí?

Marcel Proust — O Brasil ainda é o país do futuro?

Marcel Proust — O Brasil anda muito politicamente correto?

Marcel Proust — Encontrou-se com seus ídolos George Bernard Shaw, Edmund Wilson, H. L. Mencken, George Jean Nathan e George Orwell?

Marcel Proust — E seus inimigos, os encontrou?

Marcel Proust — Costuma conversar com Marx e Engels?

Marcel Proust — Por que deixou de ser trotskista?

Marcel Proust — Olavo de Carvalho ou Reinaldo Azevedo?

Marcel Proust — Cabeça de Negro ou Cabeça de Papel?

Marcel Proust — Quem são as Filhas do Segundo Sexo?

Marcel Proust — Se recente de não ter sido reconhecido como ficcionista?

Marcel Proust — Monsieur faleceu antes da popularização da internet. Olhando de cima e por cima, o que acha da rede?

Marcel Proust — Essa frase não é daquele jovem italiano engraçado, o Umberto Eco?

Marcel Proust — Leu algum livro de jovens escritores brasileiros como Jô Soares e Chico Buarque?

Marcel Proust — E leu “Em Busca dos Tempo Perdido”?